A Falta de Pontos de Apoio Gera Preocupação para Caminhoneiros.

A regra é clara: Parar um pouco, descansar e dormir.

Pelas estradas passam inúmeros “brutos”. Alguns fazem trecho urbano, outros cruzam o país e tem aqueles que atravessam a América do Sul.
É mais que necessário ter momentos de descanso, não é mesmo?
Na legislação, a cada quatro horas o caminhoneiro precisa parar trinta minutos para descanso, além de uma hora para o almoço. E sem exceder o tempo de onze horas entre uma viajem e outra. O preparo para pegar um novo trecho é fundamental e descansar é imprescindível.

Mesmo em um país com um milhão e setecentos mil quilômetros de Rodovias, como o Brasil, a turma do trecho tem enfrentado dificuldade para encontrar os pontos de parada.
Perigo constante, lugares fechados, comodidade. Tem aqueles que “se abastecer, tem banho e pernoite”, pagar estacionamento… Haja bolso!! Não é mesmo?

O membro da diretoria da FECAM, Gilvon Barbosa enfatiza que a construção de ponto de apoio público, com segurança e infraestrutura adequada para a pernoite dos estradeiros é essencial.

Preservar a vida do motorista e de quem está na estrada é o que queremos, não é mesmo?

Acompanhe a matéria completa com a Erica Pinheiro.