Em coletiva de imprensa realizada pela Anfavea, na 30ª edição do Salão do Automóvel, foi verificado um aumento de 51,9% no licenciamento de caminhões nacionais novos.

Aconteceu hoje (07), a coletiva de imprensa para a divulgação dos números do mercado de veículos automotores da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), na Expo São Paulo, na 30ª edição do tradicional Salão do Automóvel.

Com números levantados até outubro de 2018, foi constatado um aumento de 43,4% no total de licenciamentos de novos veículos, considerando carros, caminhões e ônibus, comparados ao mesmo período do ano passado.

Sobre o mercado de caminhões, o número de vendas teve um salto de 2017 para 2018, já que, considerando os veículos nacionais e importados, foi verificado um aumento de 55,9%.

Porém, apesar de os dados serem positivos, o licenciamento de caminhões leves caiu 73,8%, informação que foi explicada pelo vice-presidente da Anfavea, Gustavo Bonini:

“Os veículos pesados que deveriam ser um indicador econômico, pois são eles que reagem primeiro, já que realizam o transporte de longa distância, de infraestrutura e do agronegócio, refletindo em cadeia, com o tempo, para os veículos leves que vão tratar da distribuição desses bens.”

Além disso, ele comentou a respeito das exportações de caminhões, que tiveram uma uma queda considerável de 50,7% nos veículos semileves e um crescimento tímido de 0,8% nos leves:

“O veículo leve não participa desse fluxo de exportação, ele não participa tão ativamente ou de forma tão expressiva como o pesado para o agronegócio, então essa é a razão, há um crescimento, mas é bem menor se comparado ao de veículos pesados e semipesados.”

Mercedes-Bens e MAN tem bons resultados

Considerando os números apresentados pela Anfavea, a Mercedez-Bens vendeu 16.687 caminhões, seguida de perto pela MAN (Volkswagen Caminhões e Ônibus) que teve 16.450 veículos licenciados. A Volvo, com 8.656 comercializações realizadas, a Ford, com 7.380 caminhões licenciados e a Scania, que negociou 6.656 veículos, fecham as 5 empresas que tiveram os melhores resultados até outubro de 2018.