Frota cresce 184,2% e rodovias pavimentadas apenas 23,2% em 15 anos, revela Anuário CNT

Documento lançado nesta segunda-feira pela CNT reúne estatísticas brasileiras sobre movimentação, infraestrutura, produção e frota de veículos e composição do setor.

940x529_anuario_CNT

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) lançou nesta segunda-feira (30) o primeiro Anuário CNT do Transporte. O documento disponibiliza os principais dados sobre os modais de transporte no Brasil (rodoviário, ferroviário, aquaviário e aeroviário), tanto na área de cargas como na de passageiros. No entanto, entre tantas informações, o que mais chama atenção é um comparativo entre o crescimento da malha rodoviária pavimentada e o da frota circulante nos últimos 15 anos.

No período, as rodovias pavimentadas aumentaram em 23,2%, uma média de apenas 1,5% ao ano. Enquanto em 2001, o país possuía 170,9 mil km de vias com pavimento (9,8% do total), em 2015 esse número chegou a 210,6 mil km (12,2% do total). O crescimento foi somente de 39,7 mil km para um tipo de transporte que corresponde a mais de 60% das movimentações de carga e a mais de 90% dos deslocamentos de passageiros. Por outro lado, a frota de veículos aumentou 184,2% no período, indo de 31,9 milhões em 2001 para 90,6 milhões em 2015.

Esse número é impulsionado principalmente pela alta expressiva entre as motocicletas (402,2% em 15 anos) e automóveis (134,6%), este que, apesar da alta menor na porcentagem, representa o maior número absoluto de veículos no mercado. Já entre os de vocação rodoviária, a frota de ônibus teve aumento de 115,5%, enquanto a de caminhões cresceu 81,7% entre 2001 e 2015.

De acordo com o presidente da Confederação Nacional do Transporte, Clésio Andrade, o Anuário representa “o resgate da cultura de difusão de dados do setor para o planejamento sistêmico do transporte nacional, orientando transportadores, planejadores, formuladores de políticas públicas e ações voltadas para a melhoria do setor”.

O Anuário CNT do Transporte também detalha o tamanho da frota de caminhões registrados no Brasil em 2016. Ao todo, 1,99 milhão de unidades compõe a frota circulante. Empresas são responsáveis pela maior fatia, com 1,06 milhões de veículos. Já autônomos somam 912 mil caminhões. Cooperativas fecham o setor com 18.503 unidades.

São mais de 800 tabelas disponibilizadas em planilhas eletrônicas no documento, que podem ser consultadas clicando aqui.