Nova geração de transmissões automatizadas é apresentada durante a Eaton Experience 2016

Evento na fábrica da Eaton em Valinhos (SP) apresentou protótipos que devem chegar em breve ao mercado de caminhões e ônibus.

Eaton

As transmissões automatizadas são uma realidade no mercado brasileiro. De olho nas perspectivas futuras para esta tecnologia no mercado brasileiro, a Eaton desenvolveu quatro novas transmissões automatizadas para caminhões leves, médios e semipesados, micro-ônibus e ônibus urbanos. Os protótipos foram apresentados para montadoras e frotistas durante o Eaton Experience 2016, realizado na fábrica da empresa em Valinhos (SP) de 11 a 25 de abril.

Fabricadas no Brasil, as caixas EA-6X06, UltraShift PLUS PV e UltraShift PLUS MHD são exemplo da proposta de desenvolvimento local da Eaton para o país. “Passamos a desenhar nossos produtos para esse mercado, muitas vezes educando os clientes sobre as diferenças e benefícios dos produtos que desenvolvemos”, afirma Antonio Galvão, presidente da Eaton no Brasil.

O desenvolvimento das transmissões teve início durante um conturbado momento econômico do Brasil. “Tivemos a coragem de continuar desenvolvendo. Todo esse esforço nosso tem trazido retorno no mercado, e quando o Brasil retomar o rumo nós estaremos bem posicionados”, explica o executivo.

“A Eaton tem investido continuamente em desenvolvimento de soluções de tecnologia customizadas para as necessidades específicas do mercado brasileiro, proporcionando vantagens competitivas para as mais diversas operações de transporte de carga e passageiros”, comenta Amaury Rossi, diretor de Negócios da empresa.

Outra novidade para o mercado brasileiro do Eaton Experience 2016, a caixa Procision é focada nos usuários de transporte de passageiros. Ela é uma transmissão de 7 velocidades que faz uso de um sistema de dupla embreagem para evitar a interrupção de torque durante a troca de marchas, trazendo conforto para o motorista e passageiros e economia de combustível para o frotista. Durante uma volta teste em um ônibus equipado com o sistema, nossa reportagem atestou que não há solavancos durante as trocas.

A introdução destas tecnologias é importante para tornar a profissão de motorista mais atraente, visto que nos últimos anos mercados mundiais tem registrado dificuldades para encontrar motoristas, principalmente qualificados. “Nossa leitura é que vai continuar faltando caminhoneiro. Não é uma profissão atrativa. Achamos que a automação em todos os segmentos será fundamental para tornar o trabalho mais confortável e eficiente”, confessa Amaury Rossi.

Bloqueio de diferencial

Além das transmissões, a Eaton apresentou duas novidades no portfólio de bloqueios de diferenciais automáticos. Para caminhões há o No Spin e o Detroit Locker, desenvolvidos para proporcionar maior performance e menor desgaste em veículos vocacionais e off-road, como canavieiros, madeireiros e basculantes.

A tecnologia transfere o torque da roda que tem menor atrito para a que tem maior contato com o solo. A Eaton oferece ainda para veículos como picapes e jipes, os bloqueios de diferenciais Mlocker e Elocker. Muito utilizado em trilhas e aventuras fora de estrada, eles dividem o torque igualmente entre as rodas.