Uma feira 100% diferente de qualquer outra que já vimos. Esta é a Expoforest 2018, que acontece de 11 a 13 de abril na cidade de Santa Rita do Passa Quatro, no interior de São Paulo.

Ao contrário dos eventos realizados em pavilhões nas grandes capitais do Brasil, a Expoforest leva uma feira para o meio de uma floresta próximo do início do trabalho de corte. Nos estandes, equipamentos operam numa situação real, realizando cortes e carregamentos como numa operação comercial.

Caminhões no comando

E entre os equipamentos estão os caminhões que fazem o transporte da madeira, cada veículo com sua característica de acordo com a rota. Os modelos fora de estrada que precisam de força e capacidade de carga, por exemplo, foram representados pela Mercedes-Benz, que apresentou um modelo novo do extrapesado Axor 3344 na configuração 8×4.

A solução foi desenvolvida em parceria com a Suspensys para atender a uma demanda da Breda Logística no transporte de eucaliptos do campo à indústria. Desta maneira ele oferece 56 toneladas de PBTC na utilização com semirreboque de 3 eixos “romeu e julieta”.

Dona da requisição, a Breda Logística já acertou a compra de 23 unidades do novo Axor 3344 8×4. “Desde que começamos a transportar eucalipto, em 2006, nós trabalhamos com o Axor 3344 e seu antecessor 3340 na nossa frota”, ressalta Ricardo Rodriguez Canton, diretor geral da Breda. Henry Hardt, diretor de manutenção da Breda, destaca o desafio no desenvolvimento do modelo. “Isso é fundamental para nossa operação, porque o caminhão irá recolher o eucalipto no interior das fazendas, passando por muitos aclives e terrenos irregulares, e depois pegará estrada até a indústria. Ou seja, tínhamos que ganhar capacidade de carga dentro da Lei da Balança e a solução com o Axor 3344 8×4 atendeu plenamente a nossa necessidade”.

Entre caminhões plataforma e cavalos mecânicos, a Breda Logística conta hoje com cerca de 60 unidades do Axor 3344 e 3340 em sua frota. Considerando todos os caminhões da empresa, a Mercedes-Benz responde por 65% de toda a frota. Na soma geral de caminhões e ônibus, outro importante ramo de atividades do cliente, essa proporção aumenta para 80%.

Suecas também estão presentes

A Scania e a Volvo também participam da quarta edição da Expoforest. A primeira leva como novidade à feira Super Rodotrem R 620 6×4. Equipado com um motor V8 recém-lançado pela Scania, o modelo atende uma necessidade da cadeia com um novo conjunto de 11 eixos e capacidade de carga para até 91 toneladas.

Já a Volvo exibe o FMX no evento. O modelo tem motor de 13 litros de até 540 cv e caixa de câmbio I-shift Off Road. Esta caixa tem interior reforçado e softwares específicos para o transporte de madeira.

Setor madeireiro cresce sistematicamente no Brasil

Passando ileso à recente crise econômica brasileira, o setor madeireiro tem crescido sistematicamente nos últimos anos, graças especialmente às exportações de celulose.

De acordo com a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) – associação que representa a cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria – o Brasil é referência mundial do setor. O País tem mais de 7,8 milhões de hectares de florestas plantadas de eucalipto, pinus e demais espécies, as mais produtivas do mundo, que abastecem as indústrias de celulose e papel, painéis reconstituídos, siderurgia e produtos de madeira processada.

Segundo levantamentos da Ibá, as exportações do setor no primeiro bimestre de 2018 somaram US$ 1,7 bilhão, uma alta de 32,8%, com evolução em celulose, painéis de madeira e papel. Com esse desempenho, o setor respondeu por 13,9% dos valores exportados pelas empresas brasileiras do agronegócio.

A China ampliou o valor comprado de celulose no País em 40,7%, seguindo como principal destino do produto brasileiro, somando US$ 588 milhões. A América do Norte também ampliou as importações de celulose em 50,7%, chegando a US$ 202 milhões no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano. A Europa, segundo principal destino do produto, cresceu 37,3%, somando US$ 423 milhões nos dois primeiros meses do ano.