Caminhoneiro é encontrado após ser sequestrado

Caminhoneiro havia desconfiado do local marcado para carregar a carreta

Caminhoneiro é encontrado após ser sequestrado (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Um caminhoneiro, de 46 anos, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (26) em Uberaba (MG) depois de ficar cerca de 12 horas desaparecido.

Na noite de quarta (25) ele foi sequestrado por ladrões ao ser acionado para buscar uma suposta carga. Seis pessoas, suspeitas de envolvimento no crime, foram detidas.

A companheira do motorista foi quem chamou a Polícia Militar (PM) depois que viu, por meio do rastreador, que o veículo seguia pela BR-262 sentido Campo Florido e desconfiou disso.

Antes de sair de casa, o homem contou à esposa que iria fazer um frete e que ia até o Bairro Copacabana pegar uma carga, e por isso, pediu a ela que acompanhasse o trajeto dele por meio do rastreador.

Ainda segundo a mulher, o homem a alertou que, se por acaso saísse do Copacabana sem antes ligar, ela deveria chamar a polícia, pois provavelmente poderia ter sido vítima de roubo, já que ele desconfiou do local marcado para carregar a carreta.

Rastreamento

Após o relato da mulher, a PM iniciou rastreamento e também montou cerco e bloqueio em Campo Florido, onde, na entrada do município, encontraram a carreta do caminhoneiro.

Porém, quem conduzia o veículo era outro homem, de 44 anos. Ao ser questionado sobre a procedência do automóvel, ele disse não saber quem era o dono e contou que foi contratado por um indivíduo, de 34 anos, para dirigir a carreta até o Paraguai.

O homem de 44 anos ainda revelou aos policiais que, no contato com o indivíduo de 34 anos, foi combinado que eles se encontrariam no posto de combustíveis na entrada de Campo Florido, pois era preciso abastecer a carreta.

O homem de 44 anos foi detido e com ele um celular foi apreendido. Com estas informações, a PM montou outra operação nas proximidades. Depois de certo tempo, um GM Prisma prata com cinco ocupantes se aproximou e parou ao lado da carreta.

Então, um dos ocupantes, identificado como sendo o indivíduo de 34 anos, desceu do Prisma, entrou no cavalo mecânico e depois voltou para o carro, fugindo sentido a Pirajuba.

Abordagem

A polícia seguiu o Prisma até a BR-262 e os cinco suspeitos – três homens e duas mulheres – desobedeceram às ordens de parada, fugindo a pé. Eles foram perseguidos por um quarteirão e os militares conseguiram alcançá-los.

Durante as buscas pessoais, foram encontrados com o homem de 34 anos a quantia de R$ 711 em dinheiro e um celular que não parava de tocar. Quando a PM que o celular fosse destravado para o Imei ser consultado, o homem jogou o aparelho ao chão e quebrou.

Perguntado o motivo de ter feito isto, o indivíduo relatou que o celular tinha conversas sobre crimes e outras informações que ninguém poderia ver.

O outro ocupante do Prisma foi identificado como sendo um idoso de 62 anos. Com ele também foi encontrado um celular. Também havia duas mulheres no carro, ambas de 21 anos de idade. A PM constatou havia ligações entre eles.

O sequestro

O homem de 44 anos, que havia sido encontrado dirigindo a carreta, contou que quem o contratou para levar o veículo para o Paraguai foram o idoso, o homem de 34 anos e um jovem de 25.

Ele também revelou que, no momento que pegou a carreta roubada em Uberaba, ele recebeu, das mãos do homem de 34 anos, um cartão de débito com o nome e os números raspados, que ele devia utilizar caso precisasse.

O homem de 44 anos relatou que recebeu ligação de outro indivíduo, que deu orientações sobre o que fazer com a carreta. Este indivíduo ainda não foi encontrado.

Ainda durante a abordagem, o homem de 44 anos recebeu uma ligação no celular com o DDD 067, do Mato Grosso do Sul. A PM atendeu o telefone e conversou com um homem que não se identificou.

Segundo a ocorrência, ele disse que só liberaria o caminhoneiro se a polícia liberasse as duas jovens. Diante da negativa da PM, o homem afirmou que só seria encontrado o corpo da vítima e desligou.

Os militares solicitaram aos suspeitos que liberassem o caminhoneiro e eles também negaram. De acordo com a PM, todos os detidos apresentaram informações incoerentes, controversas e sem nexo sobre o que estavam fazendo naquele local.

Os seis detidos foram encaminhados à Delegacia de Plantão da Polícia Civil. Após ser libertada nesta manhã, a vítima conseguiu acionar a PM.

Com informações do G1