79% dos caminhoneiros avaliados nos sistemas Anhanguera-Bandeirantes e Castello-Raposo estão acima do peso

Quase 4 mil caminhoneiros foram avaliados entre janeiro e junho de 2017 nas unidades do Sistema Anhanguera-Bandeirantes e Castello-Raposo

79% dos caminhoneiros avaliados em teste de Índice de Massa Corpórea (IMC), estão acima do padrão de saúde definido como ideal pela OMS (Foto: Shutterstock)

Levantamento realizado nas unidades fixas do Programa Estrada para a Saúde do Sistema Anhanguera-Bandeirantes e Castello-Raposo, desenvolvido pelo Instituto CCR e realizado pela CCR AutoBAn e CCR ViaOeste, aponta que 79% dos caminhoneiros avaliados em teste de Índice de Massa Corpórea (IMC), estão acima do padrão de saúde definido como ideal pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Entre janeiro e junho, foram avaliados 4.063 motoristas. Destes, 3.209 estavam acima do peso. As concessionárias integram o Programa de Concessão de Rodovias de São Paulo.

“O objetivo do Programa Estrada para a Saúde é levar um pouco mais de saúde e qualidade de vida aos caminhoneiros” afirma a gestora do Instituto CCR, Marina Mattaraia. “Diversas ações especiais acontecerão simultaneamente em diferentes rodovias do Grupo CCR, oferecendo, além de teste de saúde gratuitos e palestras sobre a segurança nas estradas, outras atividades para facilitar ainda mais o dia a dia desse motorista”, destaca Marina.

Quase 40 mil serviços gratuitos em 2017

No primeiro semestre deste ano, as unidades fixas do Estada para a Saúde atenderam mais de 10 mil caminhoneiros. Durante os atendimentos ao longo do ano, os profissionais do Estrada para a Saúde orientam pessoalmente cada caminhoneiro sobre a diferença dos grupos alimentares e a importância de manter uma alimentação balanceada. Eles também oferecem dicas práticas sobre opções saudáveis que o motorista possa seguir mesmo quando estiver em viagem.

A obesidade no Mundo e no Brasil

A Organização Mundial de Saúde aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. O número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

No Brasil, a obesidade vem crescendo cada vez mais. Segundo a ABESO – Associação Brasileira de para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso, ou seja, na faixa de sobrepeso e obesidade. Entre crianças, estaria em torno de 15%.