Ceagesp é afetada pela greve dos caminhoneiros

Ceagesp ressalta que o funcionamento segue normal nesta sexta-feira (25)

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) divulgou uma nota à imprensa em que afirma que os efeitos do 4º dia da greve dos caminhoneiros no sistema de abastecimento de frutas, legumes e verduras no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) foram bastante sentidos pelos comerciantes de modo geral.

“A maioria dos atacadistas de todos os segmentos do ETSP (Entreposto Terminal São Paulo) não receberam mercadoria – sejam provenientes de outros Estados do Brasil, sejam de cidades do interior do Estado de São Paulo – salvo algumas exceções, que conseguiram desembarcar alguns produtos trazidos por rotas alternativas que não passavam necessariamente pelos pontos de greve dos caminhoneiros nas estradas paralisadas.”

Até o final da tarde de quinta-feira (24), a produção vinda do interior de São Paulo conseguiu chegar aos entreposto em pequenas quantidades, como as citrícolas, verduras e boa parte dos legumes. Os produtos que permitem estocagem, como a maçã, pera e abóboras foram encontrados com estoque para comercialização.

Alguns produtos provenientes de outros Estados já começaram a faltar no mercado, como o mamão formosa, o melão e o maracujá, e outros, como a batata, registraram alta nos preços praticados devido à poucas oferta do produto.

No Pavilhão Mercado Livre do Produtor (MLP), onde são comercializadas verduras e hortaliças, operou-se a última quinta-feira com menos de 50% de sua capacidade, ocasionando uma elevação de preços.

Preços

A formação de preços na CEAGESP é feita baseado na lei de oferta e demanda, ou seja, quando há muita oferta de determinado produto e pouca demanda, o preço cai, e ocorre o mesmo na situação inversa.

Com isso, o preço de alguns produtos que se encontram escassos no mercado tendem a subir de preço. “Ressaltamos que a Ceagesp não tem poder de controle de preços, visto que é o próprio mercado que estabelece os valores praticados no dia”, afirma.

Como os compradores também não estão conseguindo chegar à CEAGESP – especialmente de outros Estados – alguns produtos registraram queda de preço, pois os atacadistas precisam vender sua mercadoria, muitos bastante perecíveis, e que precisam ser comercializados logo para não correrem o risco de estragarem e perderem o seu valor.

Cotação

A Ceagesp ainda afirma que devido à greve e, como consequência, a redução acentuada da entrada de mercadorias no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), ficou impossibilitada a formação de preços compatível com a oferta e a diversidade de produtos e atacadistas.

“Com isso informamos que a cotação de preços ficará temporariamente suspensa até que a comercialização esteja normalizada. Pelos motivos expostos acima, não foi possível levantar valores para a elaboração da tabela de preços nesta quinta-feira (24/5).”

Funcionamento da Ceagesp

Nesta sexta-feira (25), todas as unidades da Ceagesp – tanto da capital como do interior – estarão com os portões abertos e estão programados para funcionar normalmente.

No Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) da capital, tanto a feira de pescados, que ocorre das 2h às 6h no Frigorífico São Paulo (FRISP), como a feira de flores, que ocorre da meia-noite às 9h30, estão programadas para operarem normalmente. As operações de comercialização nos entrepostos do interior também não sofrerão alteração.

VARIAÇÕES MAIS SIGNIFICATIVAS DE PREÇOS NA ÚLTIMA SEMANA VARIAÇÃO NASEMANA
PRODUTO VARIEDADE 16/05 (R$/KG) 23/05 (R$/KG)
LIMÃO TAITI 3,82 3,05 -20,1%
KIWI ESTRANG. ITÁLIA 8,21 6,86 -16,4%
CAJU 20,97 17,75 -15,3%
CAQUI FUYU 9,53 8,21 -13,8%
CAQUI GIOMBO 4,08 4,65 14,1%
LARANJA LIMA 1,61 1,88 17,2%
ABACAXI HAVAÍ 3,99 4,87 22,0%
MANGA PALMER 2,80 3,43 22,8%
ABÓBORA JAPONESA 1,66 1,50 -9,4%
TOMATE CAQUI 6,28 5,72 -9,0%
ABÓBORA MORANGA 1,29 1,24 -3,9%
TOMATE OBLONGO 3,08 3,81 23,7%
TOMATE ITALIANO 3,22 4,07 26,3%
TOMATE ACHATADO 2,86 3,61 26,3%
QUIABO LISO 4,99 6,39 28,0%
CHUCHU 1,25 1,72 38,2%
ABOBRINHA ITALIANA 2,44 3,44 40,7%
JILÓ REDONDO 2,37 3,34 40,9%
ABOBRINHA BRASILEIRA 1,90 2,71 42,8%
ALMEIRÃO 23,55 20,32 -13,7%
REPOLHO ROXO 36,92 31,95 -13,5%
ESPINAFRE 23,51 20,43 -13,1%
RABANETE 22,31 26,40 18,3%
CEBOLINHA 8,70 10,53 21,0%
COENTRO 44,69 57,31 28,2%
COUVE 10,92 16,28 49,1%
AMENDOIM SEM CASCA 178,47 144,44 -19,1%
AMENDOIM COM CASCA 111,70 105,77 -5,3%
ALHO ESTRANG. CHINÊS 9,83 9,33 -5,1%
ALHO NACIONAL 14,96 16,75 12,0%
BATATA ESCOVADA 1,94 2,70 39,2%
BATATA ASTERIX 1,66 3,03 82,5%
BATATA LAVADA 2,20 4,29 94,8%