Chuvas fortes interditam rodovias em quatro estados

Bloqueios acontecem em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia

Chuvas
Desvio no km 41 da BR-460, em Minas / Dnit

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) interditou seis rodovias em razão de estragos causados pelas chuvas. A decisão dá continuidade ao drama do início de janeiro, quando os temporais abriram uma cratera na BR-158 e forçaram o bloqueio de 18 estradas no Paraná. Desta vez os estados atingidos foram Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

Um dos casos mais graves acontece na BR-251, próximo ao km 480, em Francisco Sá (MG). Segundo o Dnit, a medida é preventiva e foi tomada por causa de uma erosão abaixo do asfalto, reflexo das chuvas. Carros de passeio, ônibus e caminhões menores estão sendo desviados para dentro da cidade de Francisco Sá. Os veículos de grande porte devem seguir pela BR-122, para Janaúba e Riacho dos Machados, uma vez que as ruas do município não foram planejadas para manobras de veículos longos. Nessa opção, o percurso aumenta em até 100 quilômetros. Equipes do Dnit estão no local e as obras de recuperação estão em andamento. A expectativa é que o trecho seja liberado em até 10 dias.

A BR-460 está com bloqueio parcial na altura do km 44, entre as cidades de Carmo de Minas e Lambari. O problema decorre do rompimento da rodovia por conta das chuvas. O tráfego está liberado em mão única somente para veículos leves e ônibus, após a construção de um desvio. Veículos pesados devem seguir pela MGC-383, por São Lourenço e Soledade de Minas, e pela BR-267, para Cambuquira. A recuperação definitiva do local deve ocorrer em cerca de 90 dias, com a execução de novo dispositivo de drenagem e a recomposição do pavimento.

A BR-354, no trecho da Serra de Itamonte, está com restrições para veículos pesados por causa de erosões em aterros e taludes de cortes instáveis, reflexo das chuvas. Para veículos de até 33 toneladas, o fluxo deve seguir pela MG-158, por Itanhandu (MG), Passa Quatro (MG) e Cruzeiro (SP). Veículos maiores devem passar pela BR-267, via Juiz de Fora (MG) e pegar a BR-040. À noite, a rodovia é interditada por medida de segurança.

Na Bahia, parte do acostamento no km 11 da BR-020 cedeu, em Luís Eduardo Magalhães. Assim, o tráfego está em meia pista, de forma alternada entre os dois sentidos. A BR-354 está parcialmente interditada no km 0,4, também devido à erosão.

Já em São Paulo, a BR-459 está totalmente interditada entre os kms 26,8 e 31, no Vale do Paraíba, em razão de avarias no pavimento, na cabeceira da ponte sobre o Rio Paraíba e o viaduto da RFFSA. As alternativas, segundo o Dnit, são as seguintes:

a) Para veículos pesados (caminhões e ônibus):

– das 6h às 18h, vindos de Minas Gerais em direção a Lorena (SP) ou à Via Dutra (BR-116): a partir de Itajubá, seguir pela rodovia BR-360/459 até o município de Wenceslau Brás. Acessar a rodovia MG-350 até Delfin Moreira e em seguida até Pouso Alto. De lá, seguir pela BR-354 até a cidade de Santana do Capivari, após a qual deve-se pegar a saída para a rodovia MG-158, sentido Itanhandu e Passa Quatro. A BR-354/MG está interditada à noite por medida de segurança. Por isso, essa rota só pode ser utilizada das 6h às 18h. Percorrer a BR-354 até a divisa MG/SP. Por fim, seguir pela rodovia SP-052, passando por Cruzeiro e continuando até a Via Dutra.

– a qualquer hora, vindos de Minas Gerais em direção a São José dos Campos (SP) ou à Via Dutra (BR-116): a partir de Itajubá, percorrer a rodovia BR-459 até o município de Piranguinho. Seguir pela rodovia MG-295 até Paraisópolis, acessando a MG-173 até a cidade de São Bento do Sapucaí, já dentro do estado de São Paulo. Seguir até Monteiro Lobato pela rodovia SP-050, e de lá até São José dos Campos, continuando até a Via Dutra.

b) Para veículos leves (automóveis e motos)

– vindos de Minas Gerais em direção a Lorena (SP) ou à Via Dutra (BR-116): seguir normalmente pela BR-459 até o município de Piquete (SP). Na altura do Km 16,5, acessar a rodovia SP-183, percorrendo-a até as saídas para Cachoeira Paulista (via SP-058) ou Cruzeiro (via SP-052), conforme o caso, continuando até a Via Dutra em seguida.

Fonte: Dnit