Consumo de Arla 32 reduz déficit e fecha semestre abaixo do necessário para frota de pesados

Arla 32 é uma das alternativas tecnológicas para reduzir a emissão de poluentes

No comparativo com o Diesel S-10, o consumo do Arla 32 apresentou melhora e fechou o período em 45%. O resultado faz parte da análise divulgada hoje pela Afeevas (Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissões Veiculares da América do Sul).

- Publicidade -

O índice é considerado positivo em relação ao déficit constatado no final de 2017, porém é ainda muito inferior ao necessário para atender a legislação do PROCONVE P7 (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores).

Ações

Segundo a Afeevas, entre as principais iniciativas que contribuíram para a redução do déficit estão as operações de fiscalização realizadas pela Polícia Rodoviária Federal e Ibama em todo o país.

Além disso, a tecnologia do Scantool, aparelho que realiza uma leitura das informações armazenadas no OBD (On-Board Diagnostics) do veículo durante os últimos 400 dias, tem auxiliado para identificar os veículos que fraudam o ARLA 32.

“Nós identificamos uma evolução no cenário. Grande parte desse processo se deve às fiscalizações que estão sendo realizadas nas estradas de todo o país. Além disso, percebemos que as transportadoras estão mais conscientes em relação às fraudes praticadas contra o ARLA 32. Esse é um processo gradual, mas a nossa expectativa é que o mercado entenda que as irregularidades praticadas prejudicam a sociedade e a economia do país como um todo”, comenta Elcio Farah, diretor adjunto da Afeevas.

OMS

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 9 em cada 10 pessoas vivem em lugares onde o contato com os poluentes é constante. Além disso, essa poluição causa a morte de cerca de 7 milhões de pessoas todo ano.

O Arla 32, agente redutor líquido automotivo utilizado em veículos produzidos a partir de 2012, é uma das alternativas tecnológicas mais eficientes para reduzir a emissão de poluentes.

A Afeevas faz ainda um alerta de que as fraudes praticadas na utilização do Arla 32 podem causar um prejuízo de mais de R$ 20 mil para a troca do catalisador, além de multas, pontos na CNH, prisão do infrator e apreensão do veículo.

- Publicidade -