DAF anuncia seus planos e metas para o Brasil

por Fábio Rogério
da Redação do Portal

Para concorrer com empresas tradicionais que já atuam há décadas no mercado nacional, a recém chegada DAF promete iniciar suas vendas em abril de 2013 com mais de 50 concessionárias em todo o País. Nas pré-vendas, serão demonstrados os pesados XF 105, que chegarão via importação somente para atrair os clientes. O objetivo da empresa é entregar os caminhões que serão produzidos na fábrica (e futura sede) de Ponta Grossa, no Paraná, em julho do ano que vem. Os veículos com motores Euro 5 virão com tecnologia SCR para atender o Proconve 7. E tem mais.

Daqui a cinco anos, a marca holandesa quer garantir 10% do market share (participação de mercado) nos segmentos de semipesados e pesados. Em 2010, a DAF ficou entre as quatro maiores fabricantes européias no segmento de caminhões pesados (acima de 15 toneladas), com 15,2% de market share. Em 2011, prevê a mesma performance.

A confiança dos executivos da DAF encontra respaldo nos 84 anos de existência da Paccar, o grupo empresarial que comprou a fabricante holandesa e, há 72 anos, sempre fecha seus balanços de vendas anuais no positivo. Em um encontro especial com a imprensa, o presidente Marco Antonio Davila e o diretor comercial Michael Kuester falaram sobre o momento atual da empresa, que busca, após lançar a pedra fundamental da fábrica em Ponta Grossa/PR, o “capital humano” da DAF Brasil.

Marco Antonio Davila, presidente da DAF

“Estamos em busca de nove profissionais para cargos de diretoria em diversas áreas (Recursos Humanos, Qualidade, Relações com Concessionárias, Jurídico, Compras, etc.) que trabalharão na futura sede no Paraná”, falou Davila, acrescentando que um Head Hunter (Recrutador de executivos) está trabalhando duro para definir as importantes “peças” (leia-se executivos) para o crescimento da empresa.

“De maneira gradual, vamos trazer outras divisões da nossa companhia como a Paccar Financial (que cuida das operações de financiamento, principalmente Leasing) e também a Paccar Parts, divisão de peças que se especializou em atender o setor de pós-vendas de modo ágil e eficiente”, comentou o presidente da DAF Brasil. Os planos são de instalar um Centro de Distribuição de Peças na Região Nordeste e outro no Sudeste – provavelmente no Interior de São Paulo –, ambos sem data de início de operação nem locais definidos.

“O primeiro veículo a sair da linha de montagem será o pesado XF 105 em julho do ano que vem. Estimamos a produção de 1.000 unidades em nosso primeiro ano de atividade. Depois, entre outubro de 2013 e janeiro de 2014, vamos montar os CFs 75 e 85. O último a entrar na linha de produção será o urbano LF”, adianta Davila.

Os modelos XF e CF serão os primeiros DAF no Brasil

E por que os caminhões pesados serão os primeiros? “Porque somos experientes no assunto, e o XF é um produto reconhecido por vários prêmios europeus que ressaltam sua qualidade. Além disso, sabemos que os frotistas brasileiros estão trocando seus veículos por modelos Premium para aumentar a eficiência de suas operações. Queremos 10% do mercado de semipesados e pesados após o período de cinco anos”, responde o presidente.

Dentro do Plano de Desenvolvimento de Fornecedores, a DAF quer chegar a um índice de nacionalização de peças e componentes de seus caminhões entre 60% e 65% – índice que possibilita a compra do veículo por meio de programas de financiamento como o Finame. “Serão mais de 50 fornecedores. Trabalharemos, por exemplo, com Usiminas (Cabine), Suspensys (Suspensões), Jost (Quinta roda) e Meritor (Eixos). Para o ‘chão de fábrica’, a DAF estuda plantas industriais de sucesso da Paccar como a de Leyland, no Reino Unido. Nós não vamos copiar – será uma mescla de processos europeus e norte-americanos que irá formatar o processo brasileiro”, resume Marco Antonio.

Rede DAF

Entre os planos e metas para 2012, a “arquitetura” da futura rede de concessionárias chama a atenção. “Teremos 100 revendas em todo o Brasil. E entre março e abril de 2013, já teremos cerca de 50 a 60 lojas funcionando, com caminhões DAF importados (cerca de 200 a 300 unidades) somente para exposição e realização das pré-vendas. Já temos 58 candidatos a parceiros comerciais em nossa lista, e destes queremos trabalhar com 20, no máximo 25, que ainda selecionaremos. Deixamos claro que os primeiros dois anos de operação não serão lucrativos, mas nós viemos para ficar”, enfatiza o diretor comercial Michael Kuester.

Michael Kuester, diretor comercial

Por estar em uma fase inicial nas negociações das parcerias, o executivo não revela nomes, mas aponta que os futuros concessionários vêm de diversas áreas: “Alguns são do setor agrícola (tratores), outros de construção e tem até grupos que já trabalham com automóveis. Achávamos que seria difícil encontrar bons parceiros, mas foi justamente o contrário. Após a Fenatran e a série de reportagens e matérias jornalísticas que nos apresentaram ao mercado, simplesmente passamos a ser procurados por empresas muito profissionais interessadas em trabalhar conosco. Por isso, até 2014 estimamos que a nossa rede terá 100 lojas em operação”.

Para ser um concessionário DAF, é preciso passar por três fases. “A primeira é a de conhecimento do candidato pela fabricante. Em seguida, analisamos o potencial comercial da região em que ele atuará. E por fim, representantes da futura concessionária apresentarão um plano de metas e ações para um comitê da DAF”, detalha Kuester.

Os investimentos para a instalação de uma concessionária DAF podem chegar a R$ 844.000,00 – valor estimado para a construção do modelo de loja necessário para receber os caminhões e aquisição de uma série de itens estruturais para o setor de pós-vendas. A empresa estima que serão gerados mais de 4.000 empregos com as 100 concessionárias.

Fotos: Divulgação DAF