DAF comemora um ano no Brasil projetando 10% do mercado de pesados em até 7 anos

por Leandro Tavares,
de Ponta Grossa (PR) para o Brasil Caminhoneiro.

Iniciar atividades em um novo mercado nunca é fácil. A empolgação sempre guia as ações e as projeções, mas na prática há dificuldades que precisam ser superadas. Após um ano de operações no Brasil, a DAF demonstra ânimo para conquistar uma expressiva fatia do segmento de pesados no País, porém baseia essa visão do futuro com uma estrutura sólida em Ponta Grossa (PR). Nesta terça-feira, a empresa holandesa convidou a imprensa para conhecer a planta na cidade paranaense e entre anúncios e planos revelou o objetivo de conquistar 10% do mercado de caminhões pesados, no qual atuará com os modelos XF105 e CF85, dentro de um período de cinco anos a sete anos.

A meta é ambiciosa. 2014 deve encerrar com cerca de 90 mil unidades deste segmento vendidas. Supondo que o mercado não cresça neste período (algo improvável visto o crescimento do agronegócio, entre outros motivos), para cumprir a projeção será preciso vender mais de 9 mil caminhões, apenas mil unidades abaixo da capacidade produtiva da fábrica de Ponta Grossa. Os resultados com testes em clientes deixa o time de executivos orgulhoso e animado. “Este foi um ano de grande aprendizado para a DAF e toda a nossa equipe”, comemora Marco Davila, presidente da DAF no Brasil, que revelou que o edifício já construído no terreno poderá ter produção de até 20 mil unidades com adaptações de maquinários e processos produtivos, sem necessidade de mais um grande aporte de investimentos.

Para iniciar as atividades em Ponta Grossa foram investidos 320 milhões de dólares pela Paccar. O terreno de 2,3 milhões de m² é o maior da companhia no mundo, sendo que 270 mil já estão ocupado com a estrutura da fábrica. Ou seja, há espaço de sobra para ampliações, como por exemplo para a construção de uma unidade de fabricação de motores, plano que a DAF avalia para alcançar uma maior taxa de financiamento de seus produtos no Finame.

Outro objetivo é a estruturação da rede de concessionárias. Mais de 200 milhões de reais foram investidos em 20 revendas iniciais, sendo que cada região do Brasil possui pelo menos uma. Até o fim de 2015 este numero chegará a 40, e o planejamento contempla a instalação de mais de 100 concessionárias até 2019. “Os 15 grupos investidores selecionados assinaram contrato para a abertura de 60 revendas em médio prazo. Estamos avaliando propostas de novos grupos que devem firmar parceria com a DAF”, afirma Michael Kuester, diretor comercial da DAF no Brasil.O investimento inicial é alto, e o payback deve ser de pelo menos cinco anos, podendo chegar a dez, de acordo com Marco Davila.

Além da ampliação da rede, a DAF tem como planos para o primeiro trimestre 2015 o lançamento do XF105 com motor de 510 cv, aém da cabine Super Space Cab, que promete ser a maior do mercado no Brasil. Até o fim do próximo ano a empresa planeja lançar o CF85, que já está em testes em transportadoras e terá índice de nacionalização compatível com as exigências para o financiamento pelo Finame.