De olho na segurança: confira a pressão dos pneus

Um dos detalhes que costumam passar desapercebidos pelo transportador na planilha de custos é a pressão dos pneus. Mas a questão vai além do financeiro. A segurança do motorista em momentos de necessidade pode ser influenciada diretamente pela calibragem correta dos pneus.

Uma pressão incorreta tem um impacto negativo em algumas performances fundamentais do pneu, tais como o rendimento quilométrico, a resistência da carcaça, a estabilidade e comportamento do veículo e a aderência do veículo.

Além disso, um pneu com baixa pressão aumenta a resistência à rodagem, provocando, por consequência, um aumento do consumo de combustível. Para evitar dores de cabeça, é recomendável sempre utilizar as pressões conforme recomendado pelo fabricante do veículo, verificar e ajustar as pressões, sempre com o pneu frio, com o veículo parado por, no mínimo, 2 horas e pelo menos 2 vezes ao mês, utilizar um manômetro preciso e previamente aferido, nunca diminuir a pressão de calibragem quando o pneu está quente, nunca calibrar um pneu, de caminhão e ônibus, com mais de 10 bars e sempre efetuar uma análise criteriosa de um pneu que rodou com baixa pressão.

Inspeções visuais regulares podem impedir o surgimento de danos provocados pelo uso incorreto das pressões. Fique atento às dicas para rodar com mais segurança e ao mesmo tempo economizar com o desgaste dos componentes do veículo.