Dnit se prepara para atendimentos de emergências no período das chuvas

por Fábio Rogério
da Redação do Portal

A partir de hoje (29/12), foi intensificado o monitoramento para atendimento de emergência nos 55.608 quilômetros de rodovias federais sob a responsabilidade do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). O órgão anunciou que está preparado para enfrentar o período de intensificação das chuvas que ocorre entre os meses de novembro e março.

Foram mapeadas as principais rodovias passíveis de ocorrências, e equipes de prontidão serão distribuídas em locais estratégicos de modo a atuar de forma rápida nas ações de socorro imediato, como implantação da sinalização preventiva, desvios, desobstrução de pista e recuperações.

Os principais problemas causados pelas chuvas são as erosões ou escorregamentos de barreiras e aterros, rompimento de bueiros e de cabeceiras de pontes de pequenas dimensões.

Neste fim de ano, as equipes do DNIT já entraram em ação em casos como a BR-116/MG, na altura de Além Paraíba, onde houve uma queda de barreira na madrugada desta segunda-feira (26/12) que interrompeu a pista nos dois sentidos. A situação já foi normalizada.

Outro exemplo de atendimento é a BR-060 em Goiás, a 50 quilômetros de Goiânia, onde o rompimento de um bueiro na última quinta-feira (22/12, ver foto acima) formou uma cratera que levou parte da pista. Os trabalhos foram iniciados imediatamente e a pista foi liberada ontem (28/12).

Os Estados mais afetados por desastres naturais devido ao período chuvoso são Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo e Paraná.

No Rio, os problemas ocorrem em sua grande maioria na BR-101/RJ e, com menor freqüência, na BR-495/RJ e BR-354/RJ. Em Minas Gerais, as principais ocorrências são registradas na BR-116/MG, seguida da BR-262/MG.

Em 2011, além do Rio e Minas, Santa Catarina também sofreu com danos gerados pelas fortes chuvas. Os locais mais atingidos são a BR-280/SC, tanto no litoral quanto na serra; a BR-282/SC, no trecho da serra, e a BR-470/SC, no Vale do Itajaí.

Foto: Dnit