Eletra apresenta primeiro ônibus 100% elétrico brasileiro

A tendência de veículos elétricos alcançou um novo patamar no Brasil na semana passada. A Eletra – empresa brasileira especializada em veículos de transporte urbano com tração elétrica – juntamente com a Mitsubishi Heavy Industries e a Mitsubishi Corporation lançaram o E-Bus, primeiro ônibus elétrico brasileiro movido 100% a baterias.

Com chassi Mercedes-Benz O 500 UA, articulado de piso baixo, carroceria Induscar/Caio e motor elétrico WEG, o veículo, equipado com ar condicionado e capacidade para 150 passageiros, é o primeiro ônibus elétrico a baterias com 18 metros de comprimento em todo o mundo.

O veículo tem autonomia operacional de 200 Km, considerando recargas rápidas, e estará em testes no Corredor ABD, na Grande São Paulo, administrado pela concessionária Metra. Inicialmente, o E-Bus irá operar no trecho Diadema – Brooklin e as baterias poderão ser recarregadas no terminal, de acordo com a necessidade da operação.

A tecnologia das baterias e das estações de recarga foi desenvolvida pela Mitsubishi Heavy Industries, que tem manifestado interesse em transferir esta tecnologia para empresas brasileiras. Já o chassi, carroceria e todo o sistema elétrico de tração são fabricados no Brasil, semelhantes aos trólebus desenvolvidos pela Eletra. A interface entre os dois sistemas foi desenvolvida pelas engenharias das empresas: Eletra e Mitsubishi Heavy Industries. A Mitsubishi Corporation é responsável pela coordenação entre as empresas.

Iêda Maria Oliveira, gerente comercial da Eletra, ressalta a importância do lançamento. “O Brasil já tem tradição na fabricação de ônibus elétricos e a parceria da Eletra com a Mitsubishi concede ao país um papel de vanguarda no seleto grupo de empresas detentoras desta tecnologia. A necessidade de reduzir a poluição nos centros urbanos passa pela não utilização de combustíveis fósseis, principalmente nos corredores que cortam o coração das grandes cidades. Neste sentido, os ônibus elétricos com emissão zero poluentes terão papel fundamental para o transporte público”.