Inicio o artigo confirmando que o meio Rádio teve crescimento de audiência nesse período de quarentena, segundo pesquisa Ibope/Kantar, publicada no dia 9 de abril deste ano.

Difícil de acreditar? O rádio não era só escutado dentro dos carros no trânsito?

Na verdade, o rádio é um meio de grande audiência em todo o Brasil e, na maior parte dos municípios, é o veiculo oficial de informação. E o hábito de consumir esse meio de comunicação é mantido, inclusive para o entretenimento. Vamos aos números:

– 77% dos entrevistados garantiram que escutam rádio, sendo que desses, 71% não relatara mudanças no padrão de consumo e, para 20%, afirmaram ouvir mais rádio durante a pandemia do novo coronavírus.

E sobre às lives?

Na minha opinião, as lives são sensacionais, uma forma disruptiva de levar o conteúdo de qualidade para a casa.

Ela não substituirá o prazer de curtir a música do artista preferido em uma mesa de bar ou em um show, mas, com certeza, é um modelo de negócio que funciona em tempos de quarentena e funcionará em tempos “normais”.

O streaming para conteúdo já vinha funcionando bem para a cadeia do audiovisual e agora está dando certo para a cadeia do áudio. Por que não aproveitamos e trazemos para o streaming a cadeia do teatro? Cultura nunca é demais, não é?!

Por aqui, no Brasil Caminhoneiro, somos rádio e há 28 anos estamos no ar, comunicando para uma audiência cativa e entretendo boa parte desse país. Na Rádio Capital AM 1040, Fernando Richeti comanda o programa diário das 4h as 6h da manhã e alcança mais de 40 mil ouvintes por minuto, com informações das estradas e da categoria.

Já a Rede de Rádios Brasil Caminhoneiro é apresentada por Sérgio Reis e Fernando Richeti, levando, diariamente, informação e muita música sertaneja para 152 rádios em todo o país, alcançando mais de 3.300 municípios brasileiros.

E, claro, como também não ficamos de fora, todas às quintas, ao meio-dia, tem live do Brasil Caminhoneiro.

Por Henrique Kirilauskas