Cursos do Programa de Aperfeiçoamento para Eficiência Energética contribuem para redução de custos e apoiam ações de responsabilidade ambiental,

Ganhar eficiência é decisivo para a sustentabilidade de qualquer negócio. No segmento de transporte rodoviário, penalizado pelo baixo desempenho da economia e pelo elevado preço dos insumos, empresas preocupadas em obter resultados melhores têm buscado soluções capazes de gerar redução no custo operacional e melhoria da produtividade. O diesel – principal insumo do segmento – é um alvo importante; e o Programa de Aperfeiçoamento para Eficiência Energética do SEST SENAT, um aliado de peso das empresas que querem diminuir os custos com ele.

“Hoje, a margem de lucro é muito apertada. Se você consegue baixar o consumo de diesel, isso melhora a rentabilidade, sobra mais dinheiro no caixa para fazer investimento e comprar mais caminhões”, diz Anselmo de Medeiros, gerente operacional da Tempo Real Transportes, que opera no Acre e em Rondônia. A empresa já adota incentivos financeiros para condutores que melhoram a média de consumo. A outra estratégia adotada foi a capacitação dos condutores por meio do programa do SEST SENAT.

Segundo Medeiros, o objetivo é aliar o conhecimento dos profissionais ao potencial da tecnologia embarcada, o que possibilita melhor desempenho do veículo. “Um resultado eficiente também depende do motorista. E o treinamento ajuda, porque, se ele não conhecer como a máquina funciona, não há incentivo que faça gastar menos combustível.” Quando se consegue aliar técnica e tecnologia, o resultado vem – diminuição de cerca de 15% –, estima o gerente operacional.

Como o conhecimento desenvolvido nos cursos se transforma em economia? Ninguém melhor do que quem coloca a mão na massa para explicar isso. “Você aprende ações que fazem a diferença no dia a dia. Desde criar rotas, evitar o trânsito pesado, fazer uma checagem do caminhão, dirigir com previsibilidade e dentro da faixa ideal de rotação do motor, seja de caminhão, ônibus ou até veículo de passeio”, relata Francisco de Assis Ferreira Silva, transportador autônomo e um dos alunos do programa.

Ele também calcula que tem obtido uma economia de cerca de 15% no consumo de diesel desde que realizou o curso Motorista de Transporte de Cargas SmartDriver. E lembra que o benefício não é apenas econômico mas também social, já que menos combustível significa menos emissões de poluentes. “A gente consegue fazer a manutenção com mais confiança, otimizar o consumo de combustível e reduzir, além de custos, a emissão de gases, que vai melhorar inclusive nossa qualidade de vida.”

Os cursos que integram o programa têm certificação reconhecida internacionalmente. O selo é do programa FleetSmart, do governo canadense, e é resultado de um acordo firmado pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) e pelo SEST SENAT com o NRCan (Ministério dos Recursos Naturais do Canadá) e com o ICCT (Conselho Internacional de Transporte Limpo).

Além disso, as aulas não são ministradas com a convencional explanação do instrutor para o aluno. “O curso acontece em uma plataforma com diferentes ações educativas, utilizando metodologias ativas e modernas estratégias para desenvolver práticas de condução e consumo conscientes. O aluno começa participando das dinâmicas na sala de aula e conclui no simulador de direção, melhorando a sua percepção quanto à operação eficiente”, explica Jackson Alves dos Santos, instrutor do Programa de Aperfeiçoamento para Eficiência Energética do SEST SENAT.

Segundo ele, ao aprender a observar cada detalhe no manuseio dos equipamentos, além de economizar diesel, o motorista contribui para diminuir a deterioração do veículo, o que reduz gastos com manutenção. “O condutor ainda estabelece uma vantagem competitiva para si e para a empresa onde trabalha e melhora a sua imagem profissional e a do setor de transporte”, complementa.

Responsabilidade ambiental: estratégia de negócio

Existe, ainda, outro fator capaz de gerar resultados financeiros positivos para a empresa, mesmo que de forma indireta. A responsabilidade ambiental é um requisito observado cada vez mais por clientes na contratação de serviços e na aquisição de produtos e agrega valor à imagem da empresa.

Uma pesquisa de 2017 apontou que 55% dos consumidores, frequentemente ou sempre, dão preferência a empresas ou marcas reconhecidas por cuidar do meio ambiente, e apenas 15% disseram que raramente ou nunca o fazem. O levantamento foi realizado pela Opinion Box, empresa especializada em pesquisa de mercado, junto a 2.065 internautas.

Com essa mentalidade, a Nossa Senhora da Vitória Transportes, de Sergipe, tem adotado uma série de medidas para elevar a sustentabilidade de suas operações. No começo deste ano, um instrutor do Programa de Aperfeiçoamento para Eficiência Energética foi à empresa e capacitou 60 motoristas. “Falava-se muito sobre minimizar problemas ambientais da atividade transportadora, e esse programa ensina as melhores práticas para reduzir consumo de combustível e despesas com manutenção e preservar o meio ambiente”, diz William Azevedo, gerente operacional.

E os efeitos já começam a ser percebidos, não em planilhas, mas na caixa de emails de William Azevedo: as notificações do setor responsável pelo abastecimento, alertando que o consumo de combustível está acima do esperado, vêm caindo. “Quando o desempenho está muito abaixo do esperado, é preciso verificar, falar com o motorista. E isso não está mais acontecendo.” Mais um ganho em eficiência.

Conheça os cursos

Os cursos são gratuitos para profissionais que trabalham em empresas de transporte contribuintes do SEST SENAT. Acesse o site e confira maiores informações: https://www.sestsenat.org.br/programa-eficiencia-energetica

Fonte: Agência CNT.