A tradicional premiação europeia “International Truck of the Year” (Caminhão Internacional do Ano, em português) teve um ganhador inesperado na última semana. O júri especializado formado por 23 editores de publicações do setor na Europa elegeu o novo F-Max, da Ford Caminhões, com 126 pontos.

Esta é apenas a segunda vez que um caminhão Ford é premiado desde 1977, ano em que o prêmio foi inaugurado. Em 1982, 37 anos atrás, o Ford Cargo foi o eleito pela comissão julgadora.

O novo cavalo-mecânico F-Max encontrou páreo duro nos desafios impostos pela recém-lançadas Séries L e P da Scania e pela linha de caminhões FH e FM movida a gás natural liquefeito (GNL) da Volvo.

Durante um teste realizado recentemente na Turquia, os membros do júri elogiaram o F-Max, incluindo sistemas como Eco-Roll, Controle de Cruzeiro Adaptável (ACC) e funções Predictive Cruise Control, baseadas em GPS. Também chamou atenção o motor Ford Ecotorq Euro 6 de 500 cv, seis cilindros em linha e 12,7 litros atuando ao lado da transmissão automatizada Traxon ZF, de 12 velocidades.

Outro detalhe que os jornalistas destacaram é um velho pedido dos caminhoneiros no Brasil: uma nova cabine para caminhões Ford. No F-Max, ela apresenta um ambiente de trabalho e de vida confortável, ergonómico e de fácil utilização, com um piso plano, uma largura de 2,5 m e altura interior de 2,16 m.

Resumindo o voto do júri, o Presidente do International Truck of the Year, Gianenrico Griffini, comentou: “Com a introdução do F-Max, a Ford Trucks entregou um caminhão de engenharia fina que pode ser um novo produto significativo num segmento altamente competitivo de tiro longo.”

As regras do prêmio

O International Truck of the Yeah é um prêmio anual e apresentado ao caminhão lançado no mercado nos últimos 12 meses. Os membros do júri levam em conta vários critérios importantes, incluindo inovação tecnológica, conforto, segurança, dirigibilidade, economia de combustível, pegada ambiental e custo total de propriedade (TCO).