Frete pode ficar mais caro no Rio Grande do Sul

Valor pode ser alterado, não no frete (preço final), mas na composição do valor do frete

O vice-presidente de Logística do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs), Frank Woodhead, classificou como “ridícula” a decisão da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) de aumentar em 34,61% o valor das tarifas de pedágio em suas 14 praças. O reajuste passa a valer a partir desta segunda-feira (2).

“Tudo isso vai ser repassado. Como são vários preços, precisamos ver. Mas, se aumentou 34%, vai aumentar em 34% o valor do frete aplicado naquele pedágio. Não no frete (preço final), mas na composição do valor do frete referente ao pedágio”, relata.

O empresário também reclamou da ausência de duplicações no plano de investimento da empresa para os próximos seis anos. Woodhead chamou de “puxadinho” as terceiras faixas anunciadas para parte das rodovias.

“A RS-287 não suporta terceira pista. Vão fazer puxadinho. Tem de ser duplicada. A RS-122 tem de estar duplicada. Na RS-040, a mesma coisa. Estamos estarrecidos coma a decisão da diretoria, mas, em especial, do diretor-presidente, que ao nosso ponto de vista não tem condições de gerir uma empresa de rodovias.”

Segundo Woodhead, a diretoria do Setcergs vai se reunir nesta segunda-feira para definir a manifestação que será feita ao secretário estadual dos Transportes, Pedro Westphalen, e ao governador José Ivo Sartori.

Com informações do Gaucha ZH