Governo lança operação e intensifica ações para reduzir acidentes nas estradas

Entre as ações previstas na estratégia, estão aumento da fiscalização, melhorias nas sinalizações das vias e campanhas educativas

940x529-estradas-brasil

A Operação Rodovida 2016-2017, que será lançada nesta sexta-feira (16), acontecerá em duas etapas, que coincidem com a época de maior movimento nas estradas. A primeira fase irá até 31 de janeiro (festas de final de ano e férias escolares); e a segunda, de 17 de fevereiro a 5 de março de 2017 (Carnaval).

Durante esses períodos, serão intensificadas as campanhas educativas e a fiscalização sobre alcoolemia, excesso de velocidade, motocicletas, ultrapassagens irregulares e transporte de crianças. A operação também contempla melhorias na sinalização, parcerias com empresas concessionárias de rodovias federais e outras atividades.

Veja também: 5 motivos para fazer sua viagem de fim de ano de ônibus

A campanha prevê o esforço integrado de vários órgãos federais, em articulação com estados e municípios. Estão envolvidos na iniciativa os ministérios de Justiça e Cidadania; Cidades; Saúde; e Transportes, Portos e Aviação Civil; Polícia Rodoviária Federal (PRF); Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT); Departamento Nacional de Trânsito (Denatran); e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Caminhoneiros

Segundo o Assessor Nacional de Comunicação da Polícia Rodoviária Federal, Diego Brandão, a orientação para os caminhoneiros é praticar o respeito mútuo nas estradas e evitar situações que coloquem em risco o veículo menor.

“Os caminhoneiros têm como profissão esse hábito de dirigir, e muitas vezes nas férias saem aquelas pessoas que não estão acostumadas a dirigir na estrada. A dica principal é o respeito mútuo entre os dois. [Já] os motoristas dos carros menores têm que entender que os caminhões têm características distintas, como uma distância maior para parar e às vezes a visibilidade prejudicada.”

Segurança no trânsito

A Rodovida é uma das estratégias do governo brasileiro para que o país cumpra os objetivos da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, lançada em 2011 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O Brasil e outros 152 países se comprometeram a adotar medidas efetivas para reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2020. Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontam que o custo social de acidentes, apenas nas rodovias federais, chegou a R$ 12,8 bilhões em 2014.