Em pronunciamento extraordinário nesta sexta-feira (25), o Presidente Michel Temer anunciou que fará uso das Forças Armadas para desbloquear as estradas do Brasil e garantir o abastecimento das cidades.

Na noite desta quinta-feira (24), o Governo, representantes de entidades patronais e representantes de caminhoneiros autônomos se reuniram para discutir propostas para suspender a greve por 15 dias. Presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, deixou uma reunião na Casa Civil antes do término e afirmou que a entidade mantém posição de manutenção da greve dos motoristas. A União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) não assinaram o documento.

“Vamos garantir a livre circulação, vamos garantir o abastecimento. O acordo está assinado e cumpri-lo é a melhor alternativa. O Governo espera que o caminhoneiro cumpra o seu papel”, afirmou o presidente às 13h20.

De acordo com a agência Reuters, a decisão foi tomada em uma reunião no Palácio do Planalto da qual participam Temer e ministros. De acordo com a fonte da agência, além do Exército, a Polícia Rodoviária Federal e as Polícias Militares dos estados também atuarão nos desbloqueios onde for necessário.