IAA 2016: Motor Cursor 9 GNV para a América Latina é apresentado

Cursor 9 GNV é o primeiro motor movido a combustível alternativo destinado ao segmento de pesados que pode ser acoplado a uma transmissão automatizada

Cursor 9

A FPT Industrial aproveitou o espaço do IAA 2016, Salão Internacional do Transporte, realizado em Hannover, Alemanha, para anunciar o lançamento do motor Cursor 9 GNV no mercado latino-americano. A tecnologia é a mais recente disponível no mercado que faz uso de combustível alternativo, com emissões próximas de zero.

O Cursor 9 GNV é o primeiro motor movido a combustível alternativo para o segmento de pesados que pode ser acoplado a uma transmissão automatizada. Quando comparado a outros motores GNV presentes no mercado, a nova tecnologia tem a seu favor diversas melhorias como capacidade para funcionar com GNV, Biometano ou GLP, com consumo de combustível mais reduzido graças a seu novo processo de combustão, mais estável e que se adapta melhor a diferentes níveis de qualidade de gás. Além disso, é cinco decibéis mais silencioso que motores equivalentes com tecnologias anteriores.

Marco Aurélio Rangel, Presidente da FPT Industrial na América Latina, destaca que a região latino-americana tem potencial para receber a nova tecnologia e, por isso, estuda a possibilidade de produzir o novo motor em sua unidade industrial argentina, base exportadora para todo o continente. “Temos mercados ideais para esta tecnologia, principalmente em países como Peru, Chile, Colômbia e Argentina”, explica.

O Cursor 9 GNV tem equivalência em torque e potência à sua versão diesel com potências de 300 a 400 cavalos a 2000 rpm, e torques de 1.300 a 1.700 Nm a 1.200 rpm. O motor de seis cilindros e 24 válvulas (quatro por cilindro) pode ser abastecido com gás natural comprimido (GNV) ou gás liquefeito de petróleo (GLP).

Em comparação com o diesel, as emissões de CO2 de veículos movidos a gás natural são significativamente menores. O novo motor GNV pode ser instalado em todos os tipos de configuração de tração de caminhões pesados 4×2, 6×2 e 8×2 ou em ônibus urbanos convencionais e BRTs e é recomendado para aplicações pesadas, coleta de lixo, transporte municipal e intermunicipal, com baixa emissão de CO2.