​O Ministério das Cidades decidiu fazer uma pequena modificação nas placas padrão Mercosul. O novo desenho exclui o brasão de municípios e estados, que vinha em detalhe na extremidade direita da peça. Aconselhado por especialistas, o ministério constatou que o símbolo era desnecessário.

“Após análise técnica de viabilidade e impacto, decidimos retirar os brasões das novas placas. Com isso, evitaremos qualquer despesa extra aos condutores de nosso país”, afirmou o ministro Alexandre Baldy, lembrando que o objetivo principal da padronização é facilitar a identificação do veículo por parte dos órgãos de trânsito e de segurança.

Pelas regras atuais, se o veículo for transferido de município, será necessário um novo emplacamento (e o pagamento de uma taxa). Excluído o brasão, essa nova identificação deixa de ser necessária. Além disso, as pessoas desconhecem o significado desses símbolos, ponderou a Pasta no texto divulgado à imprensa.

Toda a frota nacional deverá estar adaptada ao novo modelo de identificação até 2023.

Fonte: CNT (com informações da da Assessoria de Comunicação do Ministério das Cidades).