Montadoras vão investir R$ 15 bilhões no país até 2022

Oito montadoras anunciaram que vão colocar no pais quase R$ 15 bilhões até 2022

Montadoras vão investir R$ 15 bilhões no país até 2022 (Foto: divulgação/Mercedes-Benz)

A Mercedes-Benz estima que as vendas de caminhões deverão crescer aproximadamente 20% no mercado brasileiro em 2018. A empresa alemã anunciou na última segunda-feira (9) que fará um investimento de R$ 2,4 bilhões em suas fábricas de caminhões e ônibus no Brasil. Não foi um movimento isolando. Desde março, oito montadoras, incluindo a Mercedes-Benz, comunicaram que vão colocar no pais quase R$ 15 bilhões até 2022.

Para Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, a economia brasileira também ajuda, na medida em que sinaliza uma retomada do crescimento. “Fatores como inflação sob controle e juros mais baixos, por exemplo, devem motivar as empresas a renovar ou ampliar suas frotas”, diz ele.

Os investimentos representam uma reversão nos ânimos de um setor que sofreu um duro baque na crise. Entre 2013 e 2016, houve queda 42% na produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e mais de 35 mil postos de trabalho foram fechados.

O setor automotivo brasileiro saiu de um patamar de 3,7 milhões de unidades produzidas em 2013 para 2,2 milhões em 2016. As perspectivas mais positivas são de uma recuperação tênue em 2017, com a produção indo a 2,7 milhões de unidades, segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Montadora Valor em R$ bilhões Onde vai investir
GM* 4,5 Nas unidades de São Caetano do Sul (SP), Joinville (SC) e Gravataí (RS)
Volks** 2,6 Para o desenvolvimento e produção do Novo Polo e Virtus em sua unidade Anchieta
Scania 2,6 Desenvolvimento de produtos e modernização de fábrica em São Bernardo do Campo (SP)
Mercedes-Benz 2,40 Para modernização das fábricas de caminhões e chassis de ônibus da montadora em São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG)
Toyota 1 Para a fábrica de Sorocaba, onde atualmente são produzidas as versões hatchback e sedã do compacto Etios
Volvo 1 Desenvolvimento de novos produtos, concessionárias e modernização de fábrica
Renault 0,75 Ampliação da linha de produtos
MAN 0,19 Investimento em uma nova família de produtos e modernização da fábrica de Resende (RJ)

Modernização

Os investimentos previstos no Brasil não focam uma atividade específica. A Scania anunciou R$ 2,6 bilhões em desenvolvimento de produtos e modernização da fábrica, enquanto a Toyota direcionou R$ 1 bilhão para um novo modelo na linha de passeio. GM, Volvo, Volks, Renault e MAN também soltaram planos de investimentos.

A tônica geral dos desembolsos está na modernização das linhas de produção, o que costuma enxugar empregos ou, no mínimo, não levar a novas contratações.

Na Mercedes, a tecnologia que a rodada atual de investimento vai proporcionar não deve desencadear demissões, segundo Schiemer. “Estamos ajustados no volume de funcionários. As eficiências que vamos trazer agora vão ser compensadas pela retomada do mercado. Não prevemos demissões”, diz o presidente da empresa no Brasil.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou nesta segunda que decidiu cancelar as férias coletivas de funcionários da sua fábrica em Resende, no Rio de Janeiro, pela primeira vez em seis anos.

De acordo com o presidente da companhia para a América Latina, Roberto Cortes, a decisão foi motivada pelos sinais de retomada na demanda por veículos pesados pelo lançamento da família de modelos leves urbanos. “A Bolsa se valorizou 77% nos últimos seis meses, o risco Brasil caiu, o real está estável e as taxas de juros à metade do que eram”, afirmou.

Com informações da Folha de São Paulo