Motorista entra na contramão com caminhão e atropela 10 pessoas; ele e pedestre morrem

Segundo uma testemunha, houve tentativa de linchamento do motorista do caminhão, mas PMs impediram

Motorista entra na contramão com caminhão e atropela 10 pessoas; ele e pedestre morrem (Foto: Márcio Mercante/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)

Um caminhão reboque entrou na contramão na Rua José Maurício, na Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, colidindo com dez veículos e atropelando pelo menos 10 pessoas na tarde de terça-feira (7), informou a PM. O motorista do caminhão morreu após o acidente.

- Publicidade -

(ATUALIZAÇÃO: Inicialmente, a Polícia Militar tinha informado que uma mulher também teria sido morte no local do acidente. Depois, a corporação informou que na realidade um homem muito ferido teve um cobertor jogado sobre o corpo por um popular que acreditava que ele estava morto. Com a chegada dos bombeiros, foi verificado que a vítima estava viva e foi socorrida).

Pelo menos quatro dos feridos, além do motorista, foram encaminhados para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Segundo a PM, após as colisões foi constatado que o motorista do reboque também morreu, mas a causa da morte ainda será analisada pela perícia do Polícia Civil.

Veja também: Média de 30 casos de roubo de cargas são registrados por dia no Rio de Janeiro

Por volta das 20h, apenas uma pessoa seguia internada. O motorista foi identificado como Carlos Henrique Dantas Sarmento, de 40 anos. A polícia informou que foi encontrado um saco com pó branco com ele.

Em vídeos que circulam nas redes sociais, policiais aparecem no local do acidente jogando um homem, aparentemente desacordado, na caçamba da viatura, enquanto muitas pessoas no entorno o xingam. Ainda não há confirmação de que ele é o motorista. Segundo uma testemunha ouvida pela GloboNews, houve tentativa de linchamento do motorista, mas PMs a impediram.

De acordo com a sala de polícia do Hospital Getúlio Vargas, o motorista do caminhão chegou na unidade na viatura da Polícia Militar, já morto.

Com informações do G1

- Publicidade -