Navig lança unidade móvel com simulador para treinamento de motoristas

A qualificação profissional tem sido um dos principais entraves de transportadoras na hora de captar profissionais para suas vagas abertas. No entanto, não basta saber ligar e sair rodando com um caminhão: é preciso de fato saber os melhores momentos de engatar uma marcha, usar o freio motor e até mesmo adotar medidas de direção defensiva.

Com objetivo de proporcionar ao setor de transporte rodoviário de carga e passageiros uma alternativa rápida e eficaz para solucionar o problema da falta de profissionais qualificados ao volante — um dos principais desafios enfrentados atualmente por empresas transportadoras no Brasil—, o piloto e comentarista, Luciano Burti, constituiu a empresa Navig, especializada em treinamento e reciclagem para motoristas de caminhões e ônibus. Trata-se de cursos oferecidos através de simuladores, utilizando tecnologia similar as empregadas em treinamentos aéreos.

O equipamento funciona dentro de um escritório móvel que será transportado de caminhão. “Esse é um dos principais diferenciais da Navig já que a Unidade Móvel de Treinamento (UMT) irá até o cliente e ficará à sua disposição o tempo necessário”, diz Luciano Burti, proprietário da Navig.

De acordo com Burti, a Unidade Móvel de Treinamento é auto-suficente. Basta um espaço para estacioná-la dentro dos perímetros da empresa. Além de oferecer a Unidade Móvel com o simulador, a empresa disponibiliza ao cliente dois instrutores que cuidarão do treinamento teórico e prático dos motoristas. No fim do curso, há mensuração de resultados. “Nos meses seguintes ao treinamento, acompanharemos o resultado desses motoristas em seu dia a dia e ele receberá o Certificado de Qualificação da Navig, caso atinja os resultados de acordo com o curso que foi ministrado”, conta Luciano Burti.

Importado do Canadá, o simulador Navig dispõe de diversos módulos de treinamento. O carro-chefe é o curso de direção econômica, que leva o motorista a economizar combustível durante o trajeto. “Após preparar-se com esse módulo, o motorista é capaz de diminuir em 10% a média de consumo de combustível. Em alguns casos chega a 15%, conta Burti. Outro foco do curso é direção defensiva. Segundo Burti, o simulador também poderá ser utilizado como uma ferramenta para avaliação de motoristas em processos seletivos.

O simulador Navig é produzido pela Virage Simulation, empresa canadense que utiliza em seu processo de desenvolvimento o mesmo conceito de simulação aérea. “Os engenheiros da Virage vieram da CAE, que é uma empresa referência em simuladores aéreos. Foram responsáveis pelo desenvolvimento de alguns simuladores da Airbus, Boing e da Embraer”, conta Luciano Burti.

O conteúdo teórico e prático do curso foi desenvolvido em parceria com o CFTC (sigla em francês que significa Centro de Formação de Transporte de Charlesburg), um centro de treinamento para caminhoneiros baseado em Quebec, no Canadá, que conta com mais de 120 caminhões próprios, 20 cursos, sendo a maioria deles associados ao uso de simuladores. “Essa parceria foi essencial para o desenvolvimento dos cursos e métodos de avaliação da nossa empresa. Sabemos que o simulador é a ferramenta principal, porém, precisa de uma metodologia apropriada para alcançar seus resultados”, explica Burti.

Por enquanto, a empresa possui duas Unidades Móveis de Treinamento para motoristas de caminhões pesados e ônibus, além de outra para treinamento de motoristas de carros e VUC (Veículo Urbano de Carga). Um dos simuladores para caminhões pesados já está sendo testado em São Paulo pela Braspress, uma das maiores transportadoras especializadas em encomendas expressas no Brasil. “A ideia é aumentar o número de simuladores conforme a demanda do mercado”, explica Burti.

A Navig está desenvolvendo em parceria com a Braspress um laboratório de treinamento antes de disponibilizar o serviço ao mercado. “Além disso, estamos finalizando a climatização dos softwares para as características do nosso país”, conta Burti.

Segundo Urubatan Helou Júnior, controller de frota da Braspress, um dos principais atrativos do simulador é que não é preciso deslocar os motoristas até um local para fazer o treinamento. “O fato de o simulador vir até a empresa diminui o ônus que teríamos com o deslocamento do profissional”, comenta. Helou Júnior acrescenta que fazendo o curso na própria transportadora, o motorista pode conciliar atividades de aprendizado no simulador com exercícios práticos no pátio.