Nota de Repúdio! Uma Realidade que Não é Nossa.

Ontem saiu em todos os jornais, redes sociais e veículos de mídia impressa ou falada, a triste notícia da morte de Sandra Pereira, de 47 anos. Ela morreu após ter sido atropelada por um caminhão na BR-101 enquanto estava em uma moto com o marido. Socorrida e internada no Hospital Marieta Kinder Bornhausen, em Itajaí, Santa Catarina, Sandra não resistiu aos ferimentos. O cidadão que dirigia o caminhão (não chamaríamos de companheiro), confessou que estava sob efeito de drogas. Ele arrastou a moto por 32 km com o marido da Sandra agarrado ao caminhão para tentar que ele parasse.
Aqui no “Brasil Caminhoneiro”, há mais de 25 anos estamos ao lado de quem está no trecho, dentro da boléia, ajudando a transportar a economia do país no “puxa” diário, enfrentando todo tipo de adversidades, pandemia, falta de infraestrutura e a saudade da família. Nós trazemos as informações da categoria e sempre que possível, ajudamos a desenvolver o setor da estrada, do transporte, da logística e principalmente com um olhar diferenciado para o caminhoneiro, que é quem pega no volante e atravessa divisas e fronteiras carregando tudo que é essencial para a vida humana. É triste ver nosso trabalho, o de todos nós que estamos dirigindo de forma consciente e responsável na estrada, ter a reputação abalada por um cidadão que fez um estrago como esse.
O “Brasil Caminhoneiro” se entristece com a notícia e deixa explícito nosso mais profundo repúdio ao uso de entorpecentes de qualquer tipo no exercício dessa profissão que merece todo nosso apoio e respeito. Sem o caminhão na estrada não seria possível a vida em sociedade e até que os insumos básicos chegassem a escolas, hospitais, indústria e comércio. O uso de substâncias tóxicas nunca pode ser ligado a grande força  dessa categoria que não sai da estrada para manter um país em funcionamento. Fica nosso mais profundo pesar por ainda existirem alguns poucos condutores sem consciência e nossas mais profundas condolências ao motociclista que perdeu a esposa neste episódio tão trágico, que provoca a mais pura indignação.
Quanto ao cidadão que estava dirigindo, à justiça!