Obra na BR-163/PA recebe novos equipamentos

90 quilômetros da BR-163/PA ainda serão asfaltados

Dos 710 quilômetros da BR-163/PA localizados entre a divisa com Mato Grosso até a entrada para o Porto de Miritituba (PA), 620 quilômetros já foram pavimentados pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

- Publicidade -

Veja também: Chuvas elevam previsão da safra para este ano

Os cerca de 90 quilômetros ainda a serem asfaltados estão divididos em dois lotes de obras, que estão em andamento. No período de chuvas intensas, devido à impossibilidade de executar o asfaltamento da pista, as obras concentram-se em serviços de manutenção, para garantir a trafegabilidade na rodovia.

São realizadas ações de recomposição do revestimento primário da pista e obras de drenagem, além de colocação de rocha. O Governo Federal investiu um total de 1,37 bilhão na pavimentação.

Novos equipamentos

Três containers chegaram esta semana ao Pará para assegurar a trafegabilidade e a segurança rodoviária no trecho não pavimentado da BR-163/PA, durante o período das chuvas intensas na região, conhecido como inverno amazônico. Nesta operação, iniciada em campo no dia 15 de dezembro, o DNIT conta com o apoio do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal.

Os containers funcionam como escritório de suporte às equipes de campo que monitoram diariamente a rodovia e ficarão em Moraes Almeida, com o destacamento do Exército, no Ponto de Controle de Trânsito (PCTran) instalado neste município. Outros semelhantes estão localizados nos PCTrans de Novo Progresso, Bela Vista do Caracol e Campo Verde.

PCTrans

O trecho da BR-163 localizado entre Novo Progresso e o distrito de Campo Verde (km 30), com 398 quilômetros de extensão, foi dividido em três segmentos, nos quais foram instalados os quatro PCTrans.

Cada PCTran possui destacamentos de trânsito e de inspeção e conta com os seguintes equipamentos: retroescavadeira, caminhão carroceria, caminhão tanque, trator agrícola, motoniveladora, escavadeira hidráulica, cavalo mecânico com reboque, grupo motogerador, sistema de iluminação e dispositivos de sinalização viária.

Como funciona o trabalho

De três em três horas, a equipe de inspeção de cada PCTrans percorre o trecho sob sua responsabilidade para avaliar a trafegabilidade e a necessidade de execução de serviços de manutenção preventiva na pista. Em casos de emergência, esta equipe comunica os agentes de trânsito dispostos em pontos específicos, que fazem a interdição parcial ou total da rodovia, iniciando, se necessário, a operação pelo sistema Pare e Siga. Por este sistema, utiliza-se apenas um dos lados da pista, alternando os sentidos do tráfego para dar vazão a todos os veículos.

Todas as ações realizadas pelos destacamentos de inspeção e de trânsito são transmitidas ao Centro de Controle Operacional (CCO), instalado no km 30 (Campo Verde). O CCO envia estas informações para as equipes em Brasília, que editam ao menos dois boletins diários sobre as condições de trafegabilidade da rodovia. Confira todos os boletins no site da BR-163/PA.

- Publicidade -