Ônibus autônomo, Future Bus faz primeira viagem em BRT na Holanda

Mercedes-Benz Future Bus possui sistema CityPilot, tecnologia que aumenta a segurança, a eficiência e o conforto

autônomo

A Daimler Buses realizou recentemente a primeira viagem de seu novo projeto para mobilidade urbana. O Mercedes-Benz Future Bus com CityPilot rodou de forma autônoma numa rota de aproximadamente 20 quilômetros nas proximidades de Amsterdã, na Holanda.

Num trecho da maior linha de BRT (Bus Rapid Transit) da Europa, o veículo anda em velocidades de até 70 km/h, com precisão nos pontos de embarque e semáforos.

O veículo sai automaticamente, atravessa túneis, freia ante aos obstáculos e pedestres e se comunica com os semáforos. O motorista continua presente e monitora o sistema, mas tem uma tarefa muito mais fácil do que antes. A Daimler Buses é, portanto, a primeira fabricante do mundo a colocar em operação automatizada um ônibus urbano numa situação de tráfego real.

Veja o ônibus do futuro em ação:

“Há quase dois anos, mostramos com nosso Highway Pilot que a condução autônoma tornará o transporte por caminhões em longas distâncias mais seguro e mais eficiente. Agora, estamos colocando esta tecnologia em nossos ônibus urbanos com o CityPilot”, afirmou Wolfgang Bernhard, membro do Conselho de Administração da Daimler AG e responsável pela Daimler Trucks & Buses.

Veja também: Suécia inaugura a primeira rodovia elétrica do mundo

“Este sistema é um desenvolvimento avançado do Highway Pilot, especialmente voltado às grandes cidades. Ele nos permite andar de forma parcialmente autônoma em faixas de ônibus especialmente demarcadas. Isso torna o transporte público mais seguro, eficiente e produtivo.”

450x300_20160718_8447bf7f24034800862736cd214620c7_future-bus-8

“Estamos investindo cerca de 200 milhões de euros no desenvolvimento de nossa linha de ônibus. As vantagens do CityPilot para os nossos clientes são claras: o Future Bus utiliza combustível de forma eficiente e com mínimo esforço do motor. Isso tem um impacto positivo nos custos operacionais e de manutenção, na vida útil e na disponibilidade do veículo”, avalia Hartmut Schick, chefe mundial da Daimler Buses.

940x529_future bus 2