Ônibus rumo à Baixada Santista agora poderão utilizar pista da esquerda da Anchieta; caminhões seguem restritos à direita

Um novo esquema de tráfego que deverá agilizar diariamente o deslocamento dos ônibus rumo ao litoral das 18h às 20h pelo Sistema Anchieta-Imigrantes foi anunciado. Estes veículos terão permissão para utilizarem a faixa da esquerda da Rodovia Anchieta nos 15 quilômetros do trecho de serra, entre o km 40 e o km 55. No mesmo período, caminhões serão segregados na faixa da direita da via. A expectativa é de que ocorra um ganho de até 30% no deslocamento no trecho de serra.

A medida que será adotada em até 60 dias atende à reivindicação de usuários de ônibus, principalmente dos fretados da Baixada Santista. É necessário esse prazo para que as novas normas sejam regulamentadas, as pistas recebam nova sinalização e toda a estrutura para monitoramento e fiscalização seja complementada. Os ônibus terão mais rapidez nos deslocamentos até o litoral no trecho de serra, o que vai favorecer diariamente o enorme contingente de cerca de 10 mil usuários que utilizam este meio de transporte entre o Planalto e a Baixada Santista no final da tarde. Os caminhões continuam sendo obrigados a trafegar somente pela pista da direita na pista descendente da Anchieta. Mas, a partir de hoje, já começa o monitoramento para implantação do sistema 7×3 excepcional, conforme emergência. Por esse sistema, quando as 2 pistas da Anchieta e uma da Imigrantes ficam exclusivas para descida, e apenas uma da Imigrantes é destina à subida de veículos.

A liberação da faixa da esquerda para os ônibus na pista sul (descendente) da Anchieta é uma medida de curto prazo que está sendo adotada para facilitar o deslocamento dos usuários. A médio prazo há uma série de obras que estão sendo realizadas na Baixada Santista para melhorar o tráfego na chegada ao litoral. Atualmente, o fluxo de veículos coletivos e também de passeio enfrenta problemas na chegada à Baixada Santista, provocados pelo excesso de caminhões que se dirigem ao Porto de Santos para carga e descarga. Os resultados são enormes congestionamentos. O Governo do Estado vem promovendo, através do Programa de Concessões Rodoviárias, melhorias na malha no litoral no Sistema Anchieta/Imigrantes.

Obras

As melhorias no entroncamento das rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni, Imigrantes e Padre Manoel da Nóbrega, principais rotas de acesso ao Porto de Santos e ao Polo Industrial de Cubatão, permitirão a readequação e ampliação de capacidade de tráfego na região, o que eliminará gargalos e diminuirá os congestionamentos no acesso ao porto. Melhorias beneficiarão mais de 1,6 milhão de pessoas quando estiverem concluídas em 2014.

Os investimentos possibilitarão a remodelação do trevo do km 55 da rodovia Anchieta, com implantação de anel viário interligando as rodovias Anchieta (SP 150), Cônego Domenico Rangoni (SP 55), Imigrantes (SP 160) e Padre Manoel da Nóbrega (SP 55). O novo dispositivo contará com viaduto de aproximadamente 900 metros de extensão com 4 a 5 faixas de rolamento.

A outra obra será a construção de uma 3ª faixa com 16 quilômetros de extensão, sendo 8 quilômetros por sentido, na rodovia Cônego Domenico Rangoni, entre o km 262,750 e o km 269,230, na região do Polo Industrial de Cubatão. A obra irá incluir ampliação de dispositivos do trecho, construção de ciclovia e novas travessias de pedestres. A previsão é que as obras estejam concluídas até setembro de 2014. Ao todo, os investimentos somam R$ 328 milhões. Deverão passar pelo novo trevo cerca de 100 mil veículos por dia, e outros 50 mil na faixa adicional. Há também construção do Viaduto Rubens Paiva, no Jardim casqueiro, em Cubatão.

A entrega das melhorias irá aliviar o tráfego de veículos e reduzir o número de acidentes. Além disso, espera-se criar um ambiente mais favorável para o transporte de mercadorias para o Porto de Santos e o desenvolvimento do Polo Petroquímico de Cubatão.

A longo prazo é necessária a implantação o Ferroanel para retirar grande quantidade de caminhões que ocupam as pistas da Anchieta rumo ao litoral e travam as entradas de Santos e Cubatão. Com a estrada de ferro em operação, o transporte de cargas rumo ao Porto de Santos será retirada – em grande parte – das pistas. O governo estadual está disposto a colaborar com esse projeto, que está em fase adiantada de negociação com o Ministério dos Transportes e deve ser apresentado em breve.