Produção de veículos cai 26%, diz Anfavea; setor de caminhões tem situação ‘dramática’

Nos primeiros quatro meses do ano foram produzidos 658,75 mil veículos, recuo de 25,8% ante o mesmo período de 2015

940x529_veiculos_Anfavea_abril

A produção de veículos no Brasil caiu 25,8% de janeiro a abril na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta quinta (5) pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

No mês passado a indústria entregou 169,8 mil veículos entre comerciais e leves, queda de 13,6% na comparação com março, quando foram produzidas 196,5 mil unidades, e retração de 22,9% ante abril de 2015.

Os números de abril, que remontam a 2004, dão uma ideia do tamanho do desafio da nova diretoria da entidade, encabeçada agora pelo engenheiro Antonio Carlos Megale. Para o executivo, a retomada da economia — e da indústria automotiva — está ligada ao solucionamento da crise política. “É fundamental que a gente tenha uma estabilização da questão política e consequentemente a economia volte a rodar. A nossa preocupação é com a indústria.”

Vendas 

Em abril foram licenciados 162,9 mil veículos, entre comerciais e leves, queda de 9,1% na comparação com março e recuo de 25,7% ante abril do ano passado. No total, foram vendidos 644,25 mil veículos nos primeiros quatro meses do ano, queda de 27,9% ante 2015, quando foram licenciados cerca de 894 mil unidades.

Caminhões e ônibus

O setor de veículos pesados é o que mais vem sofrendo com a recessão econômica. No mês de abril, foram licenciados 4.202 caminhões, queda de 13,2% ante março e de 27,4% sobre o mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, o segmento já amarga 31% de queda.

“O mercado já caiu 49% em relação ao ano anterior e este ano caiu mais 31%. 4.200 é um número muito baixo”, afirmou o vice-presidente da Anfavea Luiz Carlos Gomes de Moraes.  Segundo dados da entidade, o número remete ao ano de 1999.

“Não conseguimos repassar o investimento na tecnologia Euro 5 para os nossos clientes e estamos com custos de 2016, situação muito dramática para a indústria de veículos pesados”, lamentou o executivo.

A mesma coisa acontece com ônibus, que em abril ficou abaixo das mil unidades vendidas e no acumulado do ano (de janeiro a abril) apresenta forte retração de 46,3%.

A boa notícia ficou por conta do anúncio, pelo governo federal, do Plano Safra 2016/2017, que irá destinar R$ 202 bilhões para os produtores rurais e pode reavivar o setor de extrapesados e máquinas agrícolas já neste ano.

Empregos

O número de trabalhadores empregados se manteve de março para abril em 128,4 mil, número porém que representa uma queda de 8% nas vagas na comparação com abril do ano passado, sendo que cerca de 30% dos empregados estão com algum tipo de flexibilização na jornada de trabalho.

Segundo Megale, 6 mil estão em lay-off e outros 29,6 mil dentro do Programa de Proteção ao Emprego (PPE).