Rodovias concedidas de SP sofrerão reajuste de até 8,47% no pegágio

A partir desta quarta-feira (1º de julho) quem roda pelas rodovias estaduais de São Paulo concedidas pagará um pedágio mais caro. Os reajustes variam entre 4,11% e 8,47%, com média de 5,32%.

Os novos valores serão aplicados co base no IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) acumulado entre junho de 2014 e maio de 2015, registrado em 4,11%, em 12 concessionárias. Os outros sete contratos de concessões rodoviárias em São Paulo preveem o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) como índice, que registrou 8,47% no mesmo período. Após aplicar os índices, as tarifas são arredondadas na segunda casa decimal para cima ou para baixo a fim de facilitar o troco nas cabines de pedágio.

Campeões de reajuste

Os maiores percentuais de reajuste são nos trechos Oeste e Sul do Rodoanel Mario Covas e as Rodovias D. Pedro I, Raposo Tavares, Marechal Rondon (Oeste e Leste) e Ayrton Senna/Carvalho Pinto.

Já o reajuste de 4,11% será praticado nas seguintes rodovias e trechos ligados a 12 concessionárias: Autoban (Anhanguera-Bandeirantes), Tebe (SP-326, SP-351, SP-323), Vianorte (SP-325, Anel Viário de Ribeirão Preto), Intervias (Laércio Côrte), Centrovias (Washington Luís), Triângulo do Sol (SP-333, SP-310 e SP-326), Autovias (Antônio Machado Sant’Anna), Renovias (SP-215, SP-340), ViaOeste (Castelo Branco), Colinas (SP-075 e SP-127), SPVias (Francisco Alves Negrão) e Ecovias (Anchieta/ Imigrantes).