Roubo e furto de veículos caem durante Copa do Mundo e Greve dos Caminhoneiros

Incidência de roubo e furto de veículos caiu 7,90%, no Brasil, no 2º trimestre de 2018, comparado ao mesmo período de 2017

A incidência de roubo e furto de veículos caiu 7,90%, no Brasil, no 2º trimestre de 2018, comparado ao mesmo período de 2017. Foram 1178 ocorrências, contra 1279 no ano anterior.

- Publicidade -

Os dados são do Grupo Tracker, maior empresa de rastreamento e localização de veículos do país. A Copa do Mundo e a Greve dos Caminhoneiros tiveram influência direta nesta queda, segundo o Comando de Operações da empresa.

Veja também: Roubo de cargas totaliza prejuízo de R$ 1,570 bilhões em 2017

Entre abril e junho, foram registrados 655 eventos com veículos leves, sendo que no 2º trimestre de 2017 foram 764, uma queda de 14,27%. “Todas as seguradoras registraram uma redução de sinistros na segunda quinzena de junho, o que levou a uma queda natural do número de ocorrências. Com certeza a Copa teve influencia direta”, afirma o coordenador do Comando de Operações, José Resende.

Utilitários

Já no segmento Utilitários, a queda foi menor, de 2,46%. Isso porque esta categoria engloba tanto os SUVs – utilizados por pessoas físicas – quantoas pick-ups e carros baús de pequeno e médio porte – utilizados por empresas e estabelecimentos para o transporte de mercadorias.

“Em linhas gerais, transportes de carga estão cada vez mais visados pelos bandidos, com uma média diária maior de roubos e furtos”, explica Resende.

Motos

Já a categoria Motos teve alta de 30,43%. José Resende explica que “com a greve dos caminhoneiros e a falta de combustível, o veículo mais utilizado naquele período foi a motocicleta, consequentemente, foi o mais visado pelos bandidos”.

Desmanches de caminhões

O Grupo Tracker registrou uma alta de 9,48% no número de roubo e furto de caminhões, de abril a junho de 2018, na comparação com o 2º trimestre de 2017.

De acordo com o Comando de Operações, nos últimos meses, cresceu o interesse dos criminosos por peças de reposição de veículos pesados. “Os órgãos fiscalizadores, inclusive, intensificaram as operações de combate a este tipo de crime e fecharam diversos desmanches ilegais”, finaliza José Resende.

- Publicidade -