Sistema Anhanguera-Bandeirantes registra 770 focos de incêndio em 2018

Sistema Anhanguera-Bandeirantes faz alerta para período com maior incidência de focos de incêndio.

Queimada na beira da rodovia coloca motoristas em risco. (Foto: Reprodução CCR Autoban)

- Publicidade -

Nos cinco primeiros meses de 2018, a CCR AutoBAn – concessionária que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes – atendeu 770 ocorrências de focos de incêndio às margens das rodovias. Dentre elas, quase a metade (46%) apenas no mês de maio.

Ao reduzir a visibilidade, a fumaça pode colocar em risco os usuários das rodovias. Quando perceber qualquer sinal de fumaça, o motorista deve reduzir a velocidade, fechar as janelas e jamais parar sobre a faixa de rolamento.

Desde o início de junho, a concessionária participa da Operação Corta Fogo, coordenada pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) nas rodovias estaduais sob concessão com o objetivo de alertar os usuários sobre os riscos causados por este tipo de ocorrência.

Até meados de outubro, período que registra a maior parte das ocorrências de incêndio às margens das rodovias, as ações de prevenção serão intensificadas.

Mensagens de orientação estão sendo veiculadas nos painéis eletrônicos instalados nas rodovias e caminhões-pipa ficam posicionados em pontos estratégicos.  Além disso, todas as viaturas de atendimento – inspeção, guinchos leves, pesados e Resgate – possuem abafadores, equipamentos úteis para o primeiro combate aos focos de incêndio.

Causas do fogo

Entre os fatores que podem contribuir para o surgimento de queimadas – além do tempo seco –o lançamento de pontas de cigarros acesas pelas janelas dos veículos, a utilização de fogo para limpeza de terrenos, queima de lixo, fogueiras, queimadas para fins agrícolas não autorizadas e a queda de balões.

Limpeza das rodovias
Diariamente, colaboradores da CCR AutoBAn  percorrem as margens das rodovias munidos de ferramentas para coleta manual dos diferentes tipos de resíduos, o que também auxilia na prevenção de ocorrência de focos de incêndio.
O lixo coletado é acondicionado em sacos plásticos que são depositados temporariamente nas margens da pista e posteriormente recolhidos pelos caminhões, que transportam até uma base operacional para separação (orgânico/reciclável) e enviados aos locais de destino (aterro sanitário licenciado ou cooperativa de reciclagem).
De janeiro a maio de 2018, a concessionária já recolheu cerca de 310 toneladas de resíduos nas rodovias do Sistema Anhanguera-Bandeirantes.
Orientações
Ao se deparar com alguma queimada na rodovia, além de avisar os órgãos competentes, o usuário pode tomar algumas precauções para prevenir acidentes:

– fechar os vidros do veículo;
– manter distância segura do veículo da frente;
– trafegar com farol baixo aceso;
– não ligar o pisca alerta com o veículo em movimento;
– não parar na faixa de rolamento

- Publicidade -