Suape fecha 2017 com balanço recorde

Suape alcançou em 2017 a maior movimentação anual de sua história

O Complexo Industrial Portuário de Suape (PE) começa o ano com motivos de sobra para comemorar. Além de dar início às celebrações pelos seus 40 anos de história, o porto abre 2018 com uma série de conquistas alcançadas no ano passado.

Um ano marcado por recordes sucessivos de movimentação, atração de grandes investimentos para o Estado, projetos até então travados que começaram a sair do papel e a implantação de iniciativas na área de planejamento e gestão.

Recordes

Suape alcançou em 2017 a maior movimentação anual de sua história, com um total de 23,8 milhões de toneladas de cargas (+ 4,7% em relação a 2016) que chegaram ou deixaram o porto pernambucano.

Assim como em 2016, os graneis líquidos (óleos, combustíveis e outros derivados de petróleo) permanecem na dianteira como a carga mais operada em Suape, com um total de 17,6 milhões de toneladas (74% do total).

O destaque, no entanto, foi o crescimento, sobretudo, de contêineres e veículos, que alcançaram também as maiores marcas já registradas em Suape. Em 2017, foram 464.490 TEUs (+18,9%) e 80.080 automóveis (+46%), respectivamente.

Projetos

Em 2017, diversos projetos que estavam praticamente parados pelos entraves trazidos pela Lei dos Portos, começaram, definitivamente, a sair do papel, mesmo sem a autonomia.

Na área do porto organizado, o principal deles é o segundo terminal de contêineres, o Tecon 2. O projeto, orçado em quase R$ 1 bilhão, mais que dobrará a capacidade anual de movimentação de contêineres do porto, passando dos atuais 700 mil para 1,7 milhão de TEUs. Seu estudo de viabilidade foi desenvolvido por Suape e já está nas mãos do governo federal.

Outro investimento de grande importância para o porto é a ampliação de seu parque de tancagem, com investimentos privados de R$ 540 milhões. Juntos, os projetos das empresas Decal, Pandenor, Tequimar e Temape expandirão a capacidade estática de armazenagem dos atuais 700 mil m³ para mais de 1 milhão de m³.

Além deles, estão em andamento os projetos de arrendamento do pátio de veículos, de criação do pátio de triagem de caminhões, de cessão de uma área para envase e distribuição de GLP, entre outros. Essas novas estruturas refletirão em mais carga e mais oportunidades em Suape.

Obras

Em 2017, o laboratório Aché iniciou a terraplenagem do terreno onde será instalada a maior planta industrial da marca para fabricação e distribuição de produtos farmacêuticos, fruto de um trabalho liderado pelo governador Paulo Câmara e coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O processo de instalação da Aché em Pernambuco é um dos maiores aportes privados em andamento em todo o Brasil, com investimento de R$ 500 milhões.

Novas ferramentas

Durante o ano, novas ferramentas de planejamento e gestão foram implementadas com o propósito de reduzir gastos e otimizar a produtividade. As principais foram a revisão do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) e a implantação do planejamento estratégico da empresa, com horizonte até o ano de 2023, com o apoio da Seplag.

O planejamento estratégico é baseado na lógica do gerenciamento de projeto. A ferramenta BI (business intelligence) possibilitou a criação de quatro fóruns temáticos: Controle Interno, Estratégia, Novos Negócios e Infraestrutura.

Ações

A empresa está se adequando às exigências previstas pela Lei das Estatais. Com isso, implementou iniciativas como a criação de um código de ética, de um estatuto (em fase de validação) e de um plano de negócios. Esse último, já com as diretrizes para o ano de 2018, inclui análise de cenários, prioridades de investimentos, indicadores e metas. Ainda há outros produtos em fase de finalização, como: regulamento de compras, política de integridade, gestão de riscos e controles internos.

Com informações da NTC & Logística