Transmissão ZF é adotada como item de série por fabricantes de caminhões extrapesados presentes na Fenatran 2013

A ZF novamente comprova suas características durante a Fenatran 2013, o Salão Internacional do Transporte que será realizado em São Paulo (SP) entre os dias 28 de outubro e 1º de novembro. Sua transmissão automatizada AS Tronic está presente como item de série em quatro fabricantes, que adotaram o produto como diferencial em modelos de caminhões pesados e extrapesados Premium.

A AS Tronic está presente em 16 modelos da Iveco (são oito versões do Stralis Ecoline e oito do novo extrapesado Hi-Way), em seis modelos da MAN (nos TGX 28.440 6×2, 29.440 6×4 e TGX 33.440 6×4; e nos VW Constellation 19.420, 25.420 e 26.420 Tractor – estes com o novo motor de 420 cavalos de potência), nas duas opções do Ford Extrapesado (os Cargo 2042 e 2842), e, também, no XF 105 da DAF. Totalizando, a AS Tronic está em 25 modelos de caminhões. Vale ressaltar que, na Iveco, a transmissão é opcional em quatro versões do pesado off-road Trakker.

“Podemos dizer que a adoção da AS Tronic pelas fabricantes não apenas reforça, mas consolida a tendência de mercado do segmento pesado extrapesado em adotar a nossa transmissão automatizada como um item de série. É uma iniciativa que traz ganhos para todo o setor: por ser uma inovação tecnológica que garante menor consumo médio de combustível à frota via padronização na condução do veículo, oferece maior rentabilidade ao transportador, proteção ao trem-de-força e muito mais conforto ao motorista”, dizFrederico Colella, gerente de vendas da ZF Sistemas de Transmissões.

Com a AS Tronic, a ZF passa a compor um diferencial competitivo para as montadoras em um segmento que vem demonstrando muita força no mercado de caminhões. No primeiro semestre de 2013, o nicho de pesados foi responsável por 36% das vendas totais de veículos comerciais no Brasil, segundo dados da ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). Nos números absolutos, foram vendidos 26.407 unidades, valor 33% superior na comparação com o mesmo período de 2012.

Com a AS Tronic, o motorista pode entregar as mercadorias em seu destino com mais segurança e melhor conforto (não há trancos ou golpes durante a troca de marchas), direcionando toda a sua atenção para o trânsito. Para os frotistas, a transmissão também oferece significativa redução no custo operacional do veículo, pois reduz o consumo de combustível com trocas rápidas e eficientes de marchas. A AS Tronic possui duas opções de configuração: uma com 16 velocidades (a mais adotada no Brasil).

A tecnologia empregada pela ZF na produção do equipamento gerou uma comunicação ágil entre o motor, a embreagem e a transmissão, o que alivia o driveline completo, prolonga a vida útil dos componentes e aumenta os intervalos de manutenção e troca de óleo. Dependendo das condições de operação, o intervalo de troca de óleo das AS Tronic pode chegar a 540.000 quilômetros.

Sem pedal de embreagem, a AS Tronic conta com um módulo eletrônico integrado à carcaça feita em alumínio. Além do alto desempenho, oferece capacidade de torque de até 3.100 Nm.

Intarder – Por meio de poucas interfaces, a AS Tronic pode receber o Intarder, sistema que protege os freios do caminhão contra o desgaste causado por esforços constantes. Ao contrário do empregado pela concorrência, o Intarder da ZF é integrado à transmissão, o que eleva a eficiência da operação.

O produto chega a efetuar até 90% das frenagens, em paradas suaves que também ajudam a proteger a carga. Para os motoristas, o Intarder garante frenagens sem sobregiro do motor e uma condução constante com velocidade média mais elevada.

Presença da opção manual em outros segmentos – Apesar das atenções focadas na AS Tronic, a “grife” ZF também se faz presentes em opções manuais para todos os segmentos de veículos comerciais.

Nos comerciais leves, a transmissão mecânica 6S 420 da família ZF Ecolite é adotada na linha Iveco Daily. Construído sobre uma estrutura de alumínio, o produto entrega seis velocidades que aumentam o rendimento do veículo. A ZF 5S 580 TO (5 marchas à frente sincronizadas e 1 à ré) equipa o médio Vertis HD 90V18 e 130V19.

Ainda na Iveco, mas dentro do nicho de semipesados, a ZF 9S 1110 TD pode ser instalada no Tector 170E28 T, 170E28S T 4×2, 170E28S 4×2, 240E28S, e 240E28S Stradale 6×2. Nos pesados, o Stralis pode ser equipado com a ZF Ecosplit com 16 marchas sincronizadas e duas rés.

Nos caminhões com PBT de 5,5 a 10 toneladas, a MAN adota a ZF S5-420 HD (com cinco marchas sincronizadas e uma ré) para os modelos Delivery 5.150, 8.160, 9.160 e 10.160.

Para a linha Constellation, a MAN adotou quatro tipos de transmissão da ZF. A 9S 1110 TD (com nove marchas sincronizadas e uma ré) está presente nas versões 17.280 e 24.280 (que atendem o setor de semipesados). Para os pesados, optou pela família ZF Ecosplit para os modelos 17.330, 19.330 Tractor, 24.330 e 31.330 6×4, 19.390 4×2 Tractor, o 25.390 6×2 Tractor, o 26.390 6×4 Tractor e o 31.390 6×4. Por fim, a ZF Ecosplit 16S 1455 foi especialmente desenvolvida para os 26.280 e 31.280 6×4.

A ZF Ecosplit também foi a opção manual feita por novos clientes como a DAF e a Shacman. Com 16 marchas à frente e duas à ré, totalmente sincronizadas, essa família de transmissões possibilita que o motor trabalhe na melhor faixa de rotação, proporcionando maior economia de combustível e redução dos níveis de emissão de poluentes.