Veja fatos curiosos sobre mercado de reforma de pneus e a redução de custos

O setor de reforma de pneus é cada vez maior no Brasil. Com tecnologias que aumentaram a qualidade do serviço com o passar dos anos, a reposição da banda de rodagem do pneu fez do nosso País o segundo maior mercado mundial, atrás somente dos Estados Unidos. Um dos motivos para o interesse crescente nesta solução é o custo por km rodado, que possui redução de 57% em relação ao novo.

É possível realizar até duas trocas de banda de rodagem sem perder a eficiência da carcaça, fazendo com que os pneus tenham uma vida útil de três ciclos. O pneu reformado é o segundo (em alguns casos até mesmo o terceiro) custo no transporte que utiliza pneus comerciais (carga). Um pneumático com uma nova banda de rodagem possui rendimento quilométrico semelhante ao novo, com custo 73% menor ao consumidor.

A reforma de pneus repõe no mercado mais de 8 milhões de pneus da linha caminhão/ônibus por ano enquanto a indústria de pneus novos repõe 6 milhões para o mesmo setor, fato que proporciona uma economia para o setor de transportes de 7 bilhões de reais/ano.

A fabricação de bandas de rodagem no lugar de novos pneus também gera a economia de 57 litros de petróleo por pneu reformado na linha caminhão/ônibus e 17 litros para a linha automóvel, gerando uma economia total de 500 milhões de litros/ano de petróleo, o que equivale a 600 milhões de reais/ano de economia com a reforma de pneus.

No Brasil, o nível técnico do serviço possui padrão semelhante ao visto em outros países. O mercado possui baixos índices de problemas com qualidade. Afinal de contas, são mais de 60 anos de tradição. Atualmente, cerca de 1.257 empresas geram serviços, totalizando cerca de 5.000 micro e pequenas empresas agregadas. Com isso, a atividade gera mais de 250.000 postos de trabalho.