Vendas mundiais da ZF chegam a 16,8 bilhões de euros

A ZF anunciou seus resultados do ano fiscal de 2013, quando se tornou novamente uma das principais geradoras de empregos na Alemanha: a empresa com sede em Friedrichshafen, na Alemanha, criou cerca de 4.200 postos de trabalho em todo o mundo no ano passado, sendo que 2.000 vagas foram abertas somente no mercado alemão. Durante o mesmo período, as vendas aumentaram 8%, subindo de €15,5 bilhões para €16,8 bilhões, com diferentes performances entre as regiões, seguindo o desenvolvimento dos respectivos mercados.

“Mais uma vez a ZF teve um crescimento acima da média do ano passado”, anunciou o CEO Dr. Stefan Sommer, durante a apresentação do balanço da empresa em Stuttgart, na Alemanha, no dia 30 de abril. “Tanto na Europa, quanto nos EUA e na China, nós fomos capazes de crescer com a contratação de colaboradores qualificados e especialmente dedicados às suas funções”, acrescentou Sommer. Graças aos novos recrutamentos, a ZF passa a empregar cerca de 72.600 pessoas em todo o mundo; desse total, 41.900 trabalham em plantas alemãs. Em geral, isto corresponde a um aumento de 6%.

Consequentemente, as vendas cresceram tão fortemente quanto as contratações do Grupo, graças a um aumento de 8% nas vendas, que totalizaram €16,8 bilhões. “A região da Ásia-Pacífico, em particular, nos deu um impulso especial, com um aumento de vendas de 15%”, destacou Sommer. O executivo mencionou que a ZF abriu no ano passado novas fábricas de produção de eixos na China e na Malásia, garantindo assim novos pedidos.

A América do Norte e a Ásia-Pacífico tiveram vendas girando em torno de €3 bilhões, e são os mercados externos mais importantes para a empresa de tecnologia depois da Europa, embora o aumento de vendas na Europa (8%) e na América do Norte (5%) tenham sido menores do que no Extremo Oriente. Em julho de 2013, a ZF abriu uma nova fábrica de transmissões automáticas de 8 e 9 velocidades em Gray Court, no Estado da Carolina do Sul (EUA), que já está em expansão por conta da alta demanda por esses produtos. “Os Estados Unidos são um importante pilar do nosso negócio”, enfatizou Sommer, que completou: “Graças à nossa nova fábrica, estamos bem equipados para fornecer produtos e serviços de forma confiável aos nossos clientes”. Sommer anunciou que, a partir de 2017, a ZF irá produzir na China a nova transmissão automática de nove velocidades para o mercado asiático. Com esta localização, a empresa quer evitar uma dependência excessiva de uma região ou mercado.

Apesar de um desenvolvimento volátil do mercado brasileiro em 2013, principalmente com relação aos veículos comerciais (segmento que representa cerca de 50% dos negócios da empresa na região), a ZF América do Sul manteve sua participação de 4% nas vendas globais do Grupo.

Com 15% e 11%, respectivamente, as divisões de Tecnologia para Sistemas de Transmissão para Automóveis, e de Tecnologia para Chassis de Automóveis, experimentaram os maiores crescimentos quando se analisa o aumento de vendas de acordo com os segmentos de produtos. As vendas de Tecnologia para Veículos Comerciais aumentaram 7%; Sistemas Eletrônicos e ZF Services cresceram 4% e 6%, respectivamente. Estas áreas lucraram com uma demanda mais forte em todo o mundo, enquanto a Tecnologia Industrial sofreu com uma evolução mais fraca, e em alguns casos, com o mercado extremamente volátil e, consequentemente, registrando uma queda de 9% nas vendas.

Como nos anos anteriores, a ZF, mais uma vez, investiu em 2013 cerca de 5% de seu faturamento em Pesquisa & Desenvolvimento, chegando a um valor total de €836 milhões. Em contraste, o aporte de €954 milhões feito em novos imóveis, instalações e equipamentos foi 7% menor do que no ano anterior.

A ZF não se limitou apenas a aumentar suas vendas no ano passado; a empresa também melhorou o seu lucro. O lucro operacional aumentou de €597 milhões para €756 milhões, um crescimento de 27%; o retorno sobre as vendas aumentou de 3,8% para 4,5%. “Nós trabalhamos muito duro para melhorar as nossas estruturas de custos”, disse o Dr. Konstantin Sauer, membro do Conselho Administrativo da ZF Friedrichshafen AG e responsável pelas Finanças Corporativas. “Agora, estamos lucrando com esses ajustes”, apontou Sauer. A reorganização da gestão de materiais e as otimizações introduzidas do capital de giro líquido também tiveram um efeito positivo sobre o resultado do Grupo e a atual situação de liquidez.

“Neste ano, a ZF vai se beneficiar do desenvolvimento positivo dos mercados na maioria das regiões em que atuamos”, disse o CEO da ZF, Dr. Stefan Sommer. Ele também espera que as plantas inauguradas em 2013 aumentem significativamente a produção. Por isso, Sommer antecipa um crescimento “percentual alto de um dígito”, bem como uma melhoria adicional em termos de resultados gerais. A empresa de tecnologia estima que aproximadamente 2.000 novos postos de trabalho sejam criados ao redor do mundo, e que um quarto desse total seja na Alemanha.