Viaduto de principal via de Brasília desaba

Segundo o Crea, a queda do viaduto é ‘tragédia anunciada’

Viaduto de principal via de Brasília desaba (Foto: Ailton Freitas / Agência O Globo)

Um trecho do Eixão, uma das principais vias expressas de Brasília, desabou no fim da manhã desta terça-feira (6). De acordo com as autoridades, não há relatos sobre vítimas.

- Publicidade -

A área foi isolada pelos bombeiros em todos os sentidos. Henrique Luduvice, diretor-geral do DER-DF (Departamento de Estradas de Rodagem), disse que será iniciado o escoramento da estrutura para evitar riscos de nova queda da parte restante e continuar a análise sobre as causas do desabamento.

Restaurantes

Estabelecimentos comerciais, incluindo uma churrascaria, funcionam na região do acidente. Mesas do restaurante “Floresta” ficaram debaixo dos escombros.

Geralmente, cerca de 300 pessoas frequentam o local durante o almoço. Na hora da queda, cerca de 15 estavam no estabelecimento, mas não há relatos de feridos, por enquanto.

Governo do Distrito Federal

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, afirmou que uma avaliação técnica já está sendo feita pelos órgãos competentes para verificar a causa da queda.

Segundo Luduvice, em 2009, o DER e um grupo de instituições do governo do DF fizeram um relatório que apontou a necessidade de orçamento específico para manutenção de pontes e viadutos da capital federal. “A crise econômica tem dificultado a existência de orçamento para esses investimentos”. “Esses recursos [de manutenção] estão aquém do que se precisa”, afirmou o diretor.

Em 2012, uma Auditoria do Tribunal de Contas do DF (TCDF) sobre a Conservação e Manutenção de Bens Públicos, avaliou três pontos da DF 002 (Processo 5687/2011). O local onde ocorreu o desabamento viaduto sobre o retorno da Galeria dos Estados estava entre eles.

O TCDF apontou a necessidade urgente de reparos e manutenção daquela estrutura. Desde então, a Corte tem reiterado determinações para que o Governo do DF implemente um plano de conservação de bens e monumentos públicos e destine recursos para essa ação, o que não foi cumprido integralmente pelo GDF.

Segundo o Crea, a queda do viaduto é ‘tragédia anunciada’

O Conselho Regional de Engenharia do Distrito Federal (Crea-DF) trata o desabamento de parte de um viaduto em Brasília, nesta terça-feira, como uma tragédia anunciada. A presidente do órgão, Fátima Có, afirmou que pedidos de vistorias no local foram ignorados pelas autoridades.

Os engenheiros do órgão estão no local do desmoronamento, uma movimentada via que cruza o plano piloto de Brasília, para fazer uma vistoria inicial e tentar descobrir as causas do desabamento.

Atualização

O trecho do viaduto deve ser recuperado em cerca de seis meses, segundo previsão da presidente do Conselho Regional de Engenharia (CREA), Fátima Có. “Mas é provável que o processo licitatório não deva demorar, por se tratar de uma emergência”, destacou.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, reconheceu que o viaduto não recebeu manutenção. “São viadutos antigos. Desde o início do nosso governo, fizemos manutenção em oito viadutos. Seis deles receberam reforço estrutural. Infelizmente, esse não recebeu e agora temos que ver que providências iremos tomar a partir de agora.”

Carros Soterrados

Dezenas de carros estão estacionados nos arredores e pelo menos quatro deles teriam sido soterrados.

Eixão

Mais conhecido como Eixão, o Eixo Rodoviário de Brasília liga os extremos das asas sul e norte, que são os principais bairros de Brasília.

No centro da cidade, a via cruza o Eixo Monumental, outra via importante do Plano Piloto e na qual estão as sedes dos ministérios, o STF (Supremo Tribunal Federal) e o Palácio do Planalto.

Com informações do Jornal O Globo e da Folha de São Paulo

- Publicidade -