Cerealista Ludvig adquire dez caminhões MAN TGX

A Cerealista Ludvig apostou no MAN TGX para atrair e reter motoristas qualificados à sua operação. A empresa acaba de adquirir mais dez unidades do TGX 29.440 6×4, fabricados pela MAN Latin America. Juntos, os caminhões devem rodar cerca de 120 mil quilômetros por mês, entre as cidades de Rio Branco do Sul (PR) e Porto Alegre (RS), levando 8 mil toneladas de cimento na carga.

Com o negócio, a Ludvig duplica sua frota de veículos MAN, chegando a 20 unidades. Os resultados positivos superam a questão do conforto. O primeiro TGX adquirido pela transportadora está com mais de 270 mil quilômetros rodados e nunca apresentou problemas. De acordo com Vilma Ludvig, diretor da empresa, outro atrativo do veículo para sua operação está no consumo de combustível, que corresponde às expectativas.

Diante da oportunidade de ampliar seus negócios, que antes se restringiam ao transporte de cereais, a Ludvig cruza o Sul do país há quatro anos com cimento para ajudar a construir a infraestrutura de que o Brasil precisa para se desenvolver. E não foi só o leque de atuação que se expandiu. Para acompanhar esse crescimento, a empresa também alicerça sua estratégia na valorização de seus profissionais.

“Hoje o mercado de trabalho está bastante competitivo e oferecer ferramentas avançadas é fundamental para garantirmos profissionais diferenciados e, consequentemente, o melhor atendimento ao cliente. O TGX nos proporciona essas condições”, afirma Alex Ludvig, responsável pelo operacional da empresa. Ele conta que os modelos da MAN são os mais disputados pelos motoristas, que reconhecem os benefícios de conduzi-lo.

Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da MAN Latin America, fabricante dos caminhões e ônibus Volkswagen e MAN, também ressalta essa tendência. “A profissionalização nas estradas é cada vez maior e deve seguir assim, trazendo vantagens a todos os segmentos envolvidos. Não só os veículos evoluíram, mas também os motoristas, que demandam por condições ideais de trabalho. E, realmente, nossos veículos estão perfeitamente alinhados a esse cenário”, afirma.