Não são apenas os caminhoneiros que estão em greve.

As atividades na fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP) estão paralisadas desde o dia 14 de maio. Os trabalhadores na planta ainda não chegaram a um acordo com representantes da montadora.

Na manhã desta terça-feira (22) uma assembleia para novas negociações ocorreu. As atividades poderão ser retomadas caso a maioria dos funcionários aceite a proposta da empresa na manhã da próxima quarta-feira.

“Depois da votação, comu­nicamos o resultado para a direção da empresa e refor­çamos que seria necessário reabrir as negociações e avançar nas propostas”, ex­plicou o secretário-geral do Sindicato, Aroaldo Oliveira da Silva.

“No fim de semana, os re­presentantes da montadora insistiram sobre os proble­mas com a incorporação do reajuste no salário e na não mudança da fórmula de cálculo da PLR. Como não deu nenhum sinal de avanço nas conversas, a greve está mantida”, afirmou.

Na sexta-feira (18) houve uma proposta rejeitada que previa a reposição salarial pelo INPC para todos os trabalhadores, na data-base, mais abono, PLR paga em duas parcelas, sendo 65% no final de maio e o restante em dezembro, renovação das cláusulas sociais, discussão com o Sindicato antes de apli­cação de qualquer medida da reforma Trabalhista, a não redução de salário e jornada dos mensalistas e a compen­sação dos dias de greve.