Noma chega à Fenatran com novidades em produtos e alta em participação de mercado

Pela primeira vez desde sua fundação, a Noma chega à Fenatran 2015 entre as três maiores produtoras de carretas do país
Pela primeira vez desde sua fundação, a Noma chega à Fenatran 2015 entre as três maiores produtoras de carretas do país

A participação da Noma na Fenatran de 2015 tem início em 2009. Há seis anos a implementadora apostava no desenvolvimento de produtos para caminhões de quatro eixos. Hoje esta configuração é uma realidade no mercado, utilizada por muitos transportadores como opção às restrições dos bitrens.

“Agora você vê as fabricantes de caminhões apostando nesse mercado. Scania já tem (modelos 8×2), Volvo, Mercedes-Benz, Iveco já sabemos que terá um 8×2”, afirma o presidente da Noma, Marcos Noma. Em seu estande na 20ª edição da Fenatran, a fabricante de implementos expõe uma a carreta Semirreboque Tanque Inox 8×2 de 47 mil litros de capacidade volumétrica.

Para Marcelo Noma, superintendente da Noma, a aposta da empresa nessa configuração confirma a importância de seus investimentos em pesquisas e em novas tecnologias. “Adotamos a filosofia de inovar e de estar em linha com conceitos que gerem resultados significativos ao transportador”, explicou.

Participação e nova planta

Pela primeira vez desde sua fundação, há quase 50 anos, a empresa paranaense chega à Fenatran 2015 entre as três maiores produtoras de carretas do país, com 12,2% de market share. Para Marcos Noma, a conquista é um resultado significativo de um projeto estratégico estruturado, de longo prazo. “Para nós é impensável crescer sem oferecer qualidade e benefícios econômicos aos clientes”, explica.

Em linha com o planejamento da empresa seguem os investimentos e os cronogramas para a inauguração de sua nova fábrica em Tatuí (SP), prevista para iniciar as operações no segundo semestre de 2017. A planta terá capacidade de produção de 600 implementos/mês e terá mais de 450 funcionários diretos. Serão mais R$ 75 milhões de aporte para viabilizar o projeto que tornará a empresa ainda mais competitiva, principalmente nas regiões Sudeste e Centro Oeste, além de ampliação de suas exportações.