O Puxa na Europa: Estradeiro que Vive em Málaga Mostra o Dia a Dia por Lá.

Curiosidade!

Assim começou a vida desse brasileiro no “puxa”.

Rafael Evangelista morava em Vitoria, ES; e foi convencido por sua mãe e tia a deixar o país. Primeira parada foi em Lisboa, o “capixaba” sentiu na pele a diferença de temperatura. Um frio que não dava conta.

Mas só se encontrou no Sul da Espanha, em Málaga. Lá começou na logística, fazendo o descarregamento de container e em bate papo com galera do “puxa” resolveu encarar as estradas europeias. Correu para agilizar  toda a documentação.

Segundo ele, a infraesturura não se compara ao Brasil, por lá, todo valor  que é destinado às estradas é utilizado para a manutenção delas. As duchas das autoestradas já estão inclusas no valor do pedágio. O que facilita muito a vida do caminhoneiro. A maior dificuldade é ser “pego” com imigrantes no “pesado”, muitos deles aproveitam os caminhões para cruzar a fronteira para a Inglaterra, sem autorização do motorista.

Todos os brutos possuem um tacógrafo digital, a vida de quem faz o “puxa” resumidamente é toda contada por horas, são onze horas para descansar, nove horas para conduzir e quarenta e cinco horas para ficar em casa.  Puxando verdura, faz uma media mensal em  torno de £2.200,00, equivalente a R$18.000,00. “Um caminho sem volta!”, completou Rafael.

Quer saber um pouco mais desse “puxa” europeu?

Entao acompanhe com a Erica Pinheiro.