Para evitar restrição de pátios, Prefeitura de Cubatão impõe limite de 5 km de congestionamento na Cônego

por Leandro Tavares,
da redação para o Brasil Caminhoneiro.

O fim da medida que restringiu o horário de funcionamento dos pátios reguladores do Porto de Santos pode não ser definitivo. Após reunião com representantes da Ecovias, concessionária que administra as estradas do Sistema Anchieta-Imigrantes e com autoridades portuárias, a Prefeitura de Cubatão anunciou através de nota que a polêmica decisão, responsável por causar mais de 50 km de congestionamento no SAI há uma semana, está adiada por mais uma semana. Ou seja, caso novas reuniões não acabem com a ideia, ela pode voltar a vigorar.

Além disso, o município impôs ainda um limite de 5 km de congestionamento na rodovia Cônego Domenico Rangoni. Com isso, a concessionária se comprometeu a monitorar o tráfego entre os km 262 e km 267 da via, que ficam dentro dos limites da cidade e próximos aos pátios. Caso o trânsito ultrapasse esse tamanho, a Ecovias deverá controlar a descida dos caminhões ainda no trecho de planalto da rodovia Anchieta, evitando assim filas em Cubatão.

Caso o acordo não seja respeitado, a Prefeitura planeja até mesmo fechar o Ecopátio. “Foi uma reunião tensa, difícil, mas percebi vontade dos protagonistas neste momento em resolver o problema. Não se tem ainda nenhuma solução definitiva, que de fato proteja a população”, afirmou a prefeita Marcia Rosa, do PT. Na defesa dos interesses de seu município, Marcia afirma: “Cubatão não pode mais parar por causa do Porto de Santos”. Uma nova reunião foi marcada para às 16h da próxima terça-feira, dia 11, para avaliar as medidas.

Foto: Divulgação