Em propostas encaminhadas aos presidenciáveis, instituição, que completa 25 anos em 2018, aponta áreas estratégicas de atuação na formação de motoristas

Trabalhadores precisam estar preparados para lidar com os desafios do mercado de trabalho e com as novas tecnologias e as mudanças que surgem em velocidade exponencial e impactam de forma significativa o mercado produtivo. O SEST SENAT tem papel estratégico no processo de formação dos profissionais que atuam no setor de transporte. Com 25 anos de atuação, a instituição acredita que tem potencial para assumir um protagonismo ainda maior nas ações de desenvolvimento profissional em todo o país.

No documento “O Transporte Move o Brasil – Propostas da CNT aos Candidatos”, elaborado pela Confederação Nacional do Transporte, em parceria com a instituição, o SEST SENAT reivindica a autorização para formar motoristas que desejam mudar de categoria de habilitação para tornarem-se profissionais. Atualmente, apenas os CFCs (Centros de Formação de Condutores) têm a competência para a realização do processo de formação, o que torna a mudança de categoria cara e, em alguns casos, inacessível. Isso acaba inviabilizando a entrada de novos condutores no mercado de trabalho.

Com a permissão, o SEST SENAT poderá realizar um amplo processo de formação de motoristas, em ambientes reais, simulados e em aulas práticas que serão complementadas por meio de cursos de qualificação e especialização voltados às verdadeiras necessidades dos transportadores. “Queremos que o trabalhador ingresse de forma facilitada na atividade remunerada de motorista profissional, o que vai suprir a demanda de mão de obra qualificada e incrementar o desenvolvimento da economia do país”, acredita a diretora-executiva nacional da instituição, Nicole Goulart.

O SEST SENAT também considera imperativo o investimento em ações adequadas de formação de condutores de veículos automotivos e elétricos, em especial quando se trata de motoristas profissionais. Outra demanda é a autorização da Marinha do Brasil para que a instituição forme trabalhadores do setor aquaviário em suas unidades.

Fonte: Agência CNT.