Tem Loira na Estrada: Brasileira Pega “Pesado” e Ganha as Estradas “Gringas”.

Tem loira no bruto?
“Amor a primeira acelerada” foi assim que Carolina Ortega se sentiu quando  começou a pegar no “pesado” nos USA. Aliou o prazer de viajar com os “puxas”.

Quando decidiu encarar as estradas americanas, logo já se preparou para os estudos de caminhão. Lá, diferente do Brasil, do carro ( CNH B) é possível se habilitar direto para carreta (CNH D/E).
E tem diversas formas de trabalho, ganhar por milhas ou porcentagem de carga sendo motorista da empresa; alugando caminhão ou comprando um bruto.
As cargas são secas e refrigeradas que vão de alimentos a madeiras.
O bruto que ela dirige tem todo conforto; o que gera maior qualidade de vida.
Os postos tem infraestutura boa, são limpos, com toda estrutura de banhos e as estradas, segundo ela, são ótimas.
O que deixa muito a desejar são as comidas, por ser muito fast food.
A fiscalização com as horas trabalhadas é rigorosa. Nada de hora extra! Tudo controlado  eletronicamente.

Ficou curioso para saber como essa brasileira ganha nas estradas “gringas”?

Então acompanhe com a Erica Pinheiro.