Caminhões autônomos da Uber começam a operar no transporte de mercadorias por meio do aplicativo

Uber planeja se lançar no empreendimento de caminhões autônomos de longas distâncias desde 2016

Caminhões autônomos da Uber fazem frete nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

A Uber quer liderar, também, o mercado de entregas nos Estados Unidos. Para isso, a empresa anunciou nesta semana que já está operando a sua frota de caminhões autônomos para o transporte de mercadorias por meio de seu aplicativo.

Os embarques estão acontecendo no Arizona, o mesmo Estado onde a marca já realiza os seus testes com os táxis robôs. Essa não foi a primeira vez que os autônomos da marca apareceram por aí transportando carga. Em outubro de 2016, um dos seus caminhões levou uma encomenda de mais de 50 mil latas de cerveja da Budweiser.

Uso de motoristas

A Uber informou que está usando um modelo de “centro de transferência”, no qual os caminhões dirigem de forma autônoma pelas rodovias, sempre com um motorista por trás do volante como forma de segurança, enquanto os motoristas assumem o controle apenas nos últimos quilômetros das corridas.

Por mais que pareça contraditório, a empresa argumenta que o uso de caminhões robô aumentará os empregos, ao menos no curto prazo, por eles não serem suficientemente avançados para efetuarem corridas porta a porta, até os depósitos. Eles ainda exigem um motorista para toda a operação.

Os caminhões ficam incumbidos de trafegar somente por trechos rodoviários, e quando chegam aos centros urbanos transferem as cargas para caminhões convencionais que se encarregam de conduzi-las aos seus destinos.

Operação

A empresa não divulga quantos caminhões estão em operação ou o tipo de carga está transportando, mas afirma que já rodou por mais de 3,2 milhões de quilômetros nos Estados Unidos. Em nota, Alden Woodrow, líder de produto dos caminhões autônomos da Uber, disse que a empresa ainda não está operando em sistema “24-7” (vinte quatro horas por dia e sete dias por semana), mas que esse é o objetivo que eles querem atingir.

A “Uber Freight” nasceu depois de a empresa de tecnologia ter contratado o time por trás da corretora de transporte “4Front Logistics”, de Chicago. Uma startup formada por profissionais da área de logística, que tinha acabado de adquirir licença para operar pelas rodovias dos Estados Unidos, mas que por algum motivo logo depois perdeu a tal licença. Segundo um porta voz da Uber, todos os cinco funcionários da 4Front Logistics ingressaram na Uber. E o gigante da tecnologia não pagou nada pela startup de Chicago.

Caminhões autônomos

A Uber planeja se lançar no empreendimento de caminhões autônomos de longas distâncias desde 2016. Foi por isso que ela adquiriu a Otto, empresa norte-americana de tecnologia de condução autônoma, por US$ 650 milhões, algo como R$ 2.1 bilhões, naquele mesmo ano. O movimento foi como uma declaração de guerra contra a Waymo, divisão de automóveis autônomos da Google.

Isso porque a Otto foi fundada em janeiro de 2016 por Anthony Levandowsky, que trabalhou no projeto de carros autônomos do Google. A aquisição do profissional gerou uma amarga disputa judicial entre as companhias, mas menos de uma semana depois do início do julgamento as empresas chegaram a um acordo de algumas centenas de milhões de dólares na justiça e tudo foi resolvido.

Com informações do Autoesporte