Contra exportação de empregos

O aumento de quase 30% nos impostos de veículos importados, anunciado ontem pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi bem recebido pelo presidente da MAN Latin America, Roberto Cortes. De acordo com Cortes, a resposta imediata do governo ao aumento das vendas de veículos importados é acertada pois “inibe a atuação de oportunistas no mercado nacional”.

O ministro da Fazenda alega que o Brasil estava “exportando empregos ao facilitar estas importações”. De acordo com as novas regras do governo, veículos vendidos aqui, com isenção destes impostos, terão que ter conteúdo local de,  no mínimo, 65%, além de investimento de 0,5% da receita líquida, sem impostos, em pesquisa e desenvolvimento. “Com estas medidas a competição ficará bem mais equilibrada”, diz Cortes.

As novas regras só se aplicam aos veículos importados dos países fora do Mercosul. No negócio caminhões, certamente as marcas chinesas sentirão mais forte a pressão das novas medidas.

Foto: Divulgação MAN