Criminosos são flagrados roubando carga a menos de 1 km de blitz da Força Nacional

Grupo de criminosos foi flagrado transferindo uma carga de um caminhão frigorífico para outro caminhão menor, no Complexo da Pedreira

Criminosos são flagrados roubando carga próximo a blitz da Força Nacional no Rio (Foto: Reprodução/TV Globo)

Um grupo de criminosos foi flagrado na manhã desta sexta-feira (8) transferindo uma carga de um caminhão frigorífico para outro caminhão menor, no Complexo da Pedreira, zona norte do Rio. A ação foi exibida ao vivo pelo Bom Dia Brasil, da Rede Globo. O roubo aconteceu a cerca de um quilômetro de uma barreira da Força Nacional. Por volta de 7h54, a PM anunciou nas redes sociais que conseguiu recuperar a carga.

“Vamos identificar o que realmente gerou essa falta de comunicação”, garantiu o porta-voz da PM, major Ivan Blaz, garantindo que há uma coordenação do trabalho da polícia com as demais força de segurança. Logo depois do flagrante do Globocop, o comando da Polícia Militar mobilizou agentes que estavam em uma operação em Acari, que fica próximo ao local.

Alguns criminosos estavam carregando fuzis, dando cobertura a outros comparsas. Depois que descarregaram a mercadoria, os criminosos levaram o caminhão menor para um campo de futebol na favela da Quitanda, em um local que parecia ser um esconderijo, próximo a uma área de mata. No local, há outros veículos.

Veja também: Câmara aprova lei que agrava pena para motorista embriagado que causar morte

O caminhão que foi esvaziado, foi levado pelo motorista e pelo auxiliar, que estavam sendo feito reféns, até a blitz da Força Nacional. Na recuperação da carga, que estava no caminhão menor, pelo menos dois suspeitos foram detidos no local onde os caminhões estavam escondidos. Um cerco foi realizado em toda a região. O campo de futebol onde ocorreu o roubo fica próximo da linha do trem, próximo à Avenida José Arantes de Melo, perto da estação de Costa Barros da Supervia.

“Esta semana desmobilizou uma grande quadrilha de roubo de cargas, prendendo os principais chefes. O investimento em policiamento ostensivo é fundamental, assim com o investigação para reduzir o roubo de cargas. Há muitos personagens atuando nesse cenário. É preciso mais policiais e viaturas nas ruas, no Chapadão, Pedreira, Quitanda. É muito importante para acabar com o roubo de cargas nessa região. Ações coordenadas Força Nacional dão apoio às ações do 41º BPM, que estão em Acari”, afirmou Blaz.

O local fica próximo à escola Daniel Piza, onde a menina Maria Eduarda morreu no início do ano, após ser baleada no pátio da escola. Segundo o diretor da unidade, nesta sexta, às 9h, estava marcado a formatura dos alunos do 9º ano, mas, com essa ocorrência, ele disse que não sabe se vai manter a cerimônia.

Em 2017, de janeiro a outubro, aconteceram 8.508 casos de roubo de carga no Rio de Janeiro. Apenas no mês de outubro foram 901 casos registrados, interrompendo uma queda que vinha ocorrendo desde junho passado, quando a Força Nacional intensificou o patrulhamento na região.

Motorista

O motorista do caminhão roubado relatou ao Jornal O GLOBO que jamais passou por uma situação tão estressante em sua vida. O gaúcho Anderson Dias, de 33 anos, contou que foi fechado por um carro com ocupantes armados de fuzis por volta das 6h na Avenida Brasil, próximo à Ceasa, em Irajá. Segundo ele, um dos ocupantes apontou um fuzil e ordenou ele que os seguissem.

“Mandaram seguir o carro até uma favela. Um deles ficou com o corpo para fora do carro apontando um fuzil para mim. Senti um frio na barriga. Pensei nos meus colegas que já foram assaltados no Rio de Janeiro. Tentei manter a calma. Sabia que assim que se saísse da rota a empresa já ficaria sabendo o que estava acontecendo. É muito complicado vir para o Rio para entregar carga. É a quinta vez que eu venho, e nesta fui o escolhido”, relatou o motorista que há um ano trabalha na empresa Reiter Log, de Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul.

O motorista contou ainda que transportava oito toneladas de pernil de porco congeladas em caixas de 12 kg cada uma, e que muitas pessoas que estavam em volta na hora do transbordo levaram caixas para casa. Era a segunda viagem que o caminhão flagrado pelo helicóptero da TV Globo fazia para descarregar a carga. Segundo ele um outro caminhão menor já havia feito três viagens, portanto, a carga que a polícia recuperou é apenas uma pequena parte. “E ainda levaram o meu celular pessoal e R$ 350 da minha carteira, mas deixaram o celular da empresa.”

Com informações do G1 , do Estadão e do O Globo