Cummins apresenta novidades para a Fenatran 2017

A Cummins reuniu jornalistas nesta terça-feira (26), em São Paulo, para apresentar as inovações e tendências em motorizações que serão apresentadas no 21º Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas – Fenatran 2017, entre os dias 16 e 20 de outubro.

Cummins mostrou suas novidades para a Fenatran 2017. (Foto: Divulgação)

Destaque para a nova aplicação no segmento de caminhões leves com motorização nacional ISF 2.8 com tecnologia EGR e turbo de geometria variável – Recirculação de gazes exaustão.

Outra novidade é a motorização ISG 12, com potência de até 510 hp, que está em fase de testes com as montadoras. Já a motorização ISB 6.7 ganhou aumento de potência e torque, agora com 310 cv e 1.100 Nm.

“Nós temos uma tradição em inovação. A Cummins tem investido 700 milhões de dólares por ano na exploração de novas soluções de energia e produtos. Nós somos uma empresa de soluções sejam quais forem as tendências do trem de força”, afirma Luis Pasquotto, presidente da Cummins Brasil e vice-presidente da Cummins Inc.

A fabricante de motores aposta na eletrificação para atender as tendências do mercado.
“Precisa melhorar ainda a questão de autonomia dos veículos, o tempo de recarregamento das baterias e até a própria infraestrutura para poder viabilizar. É questão de tempo e o elétrico vai ganhar força. Estamos olhando para o futuro sustentável, assim como já lançamos o primeiro protótipo elétrico”, explica Rafael Torres, diretor de engenharia de motores da Cummins.

Outra novidade é o Telematics, que é um sistema que monitora as condições do motor via sinal de internet e possibilita o acompanhamento da frota ou de apenas um caminhão.

Euro VI

Em relação ao Euro VI no Brasil, a Cummins mantém cautela quanto a introdução da norma Proconve P8, que é mais uma fase que visa a redução de emissões de poluentes.

“O Euro VI deve vir como ciclo de renovação, mas precisa vir agregado aos incentivos como renovação de frota, isenções fiscais, inspeção veicular entre outras que beneficiem quem tem a tecnologia. A Cummins, assim como já introduzido na Europa o Euro VI, está no processo de renovação dessa motorização para os mercados emergentes, em que vamos trazer produtos com maior confiabilidade, consumo e adequados para a região em termos de custos também”, finaliza Torres.